Polícia/Polícia

(25/05/2019) - Polícia Militar Ambiental apreende armas e encontra 129 aves em cativeiro

Com foto Sem Foto

Policiais na sede do 2º Pelotão de Polícia Militar Ambiental verificando os pássaros e gaiolas apreendidas
Luis Nascimento

Uma equipe da Polícia Militar Ambiental apreendeu duas armas encontrou 129 aves que estavam sendo mantidas em cativeiro em uma propriedade rural em Jaborandi, na quinta-feira.

O tenente Pilon e o sargento Casagrande apresentaram a ocorrência, e informaram  que  foram  checar uma denúncia em que havia aves em cativeiro em situação irregular.

Os policiais mantiveram contato com o indiciado de 47 anos, durante as buscas encontraram duas espingardas uma delas de calibre 28 e outra de pressão, munições, e  129  pássaros de várias espécies em gaiolas.

Consta que  115 pássaros estavam  com anilhas.

  “Recebemos uma denúncia anônima, que em uma chácara, na área rural de Jaborandi, havia um senhor com várias aves sem anilhas, e que inclusive ele estaria falsificando algumas anilhas dessas aves. Nós fomos recebidos pelo morador da chácara, e com autorização fizemos a fiscalização e encontramos 14 aves sem anilhas, várias aves em situação de maus tratos, algumas aves com as anilhas adulteradas outras falsificadas. Localizamos também dentro da residência, uma espingarda de calibre 28 com algumas munições deflagradas. Diante de tudo isso, nós o conduzimos até o Plantão Policial da Seccional. Nós apresentamos a ocorrência, por manter espécies em cativeiro,  por praticar atos de maus tratos, falsificação de selo público e a posse ilegal de arma de fogo”, disse o sargento Casagrande.

O delegado Marcos Eduardo Marques ratificou a voz de prisão e autuou o indiciado por posse ilegal de arma, o liberando mediante pagamento de fiança no valor de R$ 1 mil.

Em relação às  aves pelo Plantão Policial foi elaborado  um termo circunstanciado relacionado a crime contra o meio ambiente. 

Todas as gaiolas com as aves foram encaminhadas para sede do 2º Pelotão de Polícia Militar Ambiental em Barretos e até o final da tarde de ontem, os policiais continuavam fazendo um levantamento de identificação das aves apreendidas.

“Vamos agora fazer cuidadosamente um levantamento  e  analise de cada ave, para verificar  quantas estavam com as anilhas, ou com anilhas  adulteradas, ou sem anilhas para chegarmos ao valor da autuação” concluiu o sargento Jonatan Luiz  Casagrande.


Imprimir