Opinião/Editorial

(03/08/2019) - Termos aditivos para idosos

Fundo Municipal do Idoso firmou termo aditivo em convênio com a Vila dos Pobres e a APAE. A iniciativa foi aprovada na reunião ordinária de 10 de julho, recebeu parecer favorável da pasta jurídica, sendo publicada no diário oficial com assinaturas da secretária Kelly Coelho e o presidente do Conselho Municipal André Guimarães de Castro.

Os dados do censo barretense serão levantados pelo IBGE em 2020.  Os números mais recentes disponíveis sobre a população barretense com mais de 60 anos é de quase 20 mil pessoas. A Fundação Seade estimou em 16,74% da população com 60 anos ou mais, na faixa portanto de entre 19 e 21 mil. O índice de envelhecimento do município é de 96,60%. A taxa de mortalidade da população de 60 anos e mais por 100 mil habitantes em 2017 foi de 3.786,49.

O estabelecimento de uma política para a terceira idade envolve diferentes segmentos, focando especialmente saúde, alimentação, moradia, lazer e cultura. Há em torno das entidades assistenciais, organizações não governamentais e ações paroquiais, um esforço humano, gerando suporte para cuidado, proteção e segurança a idosos mais carentes.

O encontro diário com  o divino na jornada para o encontro definitivo para Deus deve ser construído com paciência e sabedoria, fazendo emergir soluções e imergir fragilidades. A missão das entidades é cercada de exigências técnicas, sociais e legais, determinando infraestrutura fundamental e capacitação humanizada essencial.  A atuação do poder público para atendimento dos idosos é impossível sem a colaboração das entidades.  Não dá para fazer "fiado" e nem conversa "fiada", com demagogia eleitoral e cortes de repasses.  Afinal, o dever é fazer bem as coisas, mas o amor conduz a fazer tudo com perfeição.

 


Imprimir