23 de Outubro de 2019 | 07:54:37

23 de Outubro de 2019 | 07:54:37

07/01/2014 | Opinião / Editorial

Reflexões para o cotidiano

Novela na Rede Vida aprofunda as observações do Papa sobre um mundo melhor para todos os povos

Cada vez mais será necessário um cristianismo que se destaque, antes de mais nada, pela arte da oração. A frase do papa João Paulo II é oportuna, agora que o polonês está sendo canonizado.

- Um cristão sem oração é um cristão que corre risco - destacou o futuro integrante da comunhão dos santos.

O papa emérito Bento XVI afirmou que João Paulo II ajudou a não ter medo da verdade, porque a verdade é garantia da liberdade. Feliz és tu, João Paulo II, porque acreditaste.

Cerca de um bilhão de seres humanos vive na própria pele o fenômeno da migração. O número foi revelado pelo Cardeal Antônio Maria Vegliò, Presidente do Pontifício Conselho da Pastoral para os Migrantes e os Itinerantes.

O Vaticano tem incentivado que Conferências Episcopais, dioceses e paróquias mantêm várias iniciativas de acolhimento, acompanhamento e ajuda concreta aos migrantes.

A  Mensagem do Papa Francisco para o Dia mundial do migrante e do refugiado, a ser celebrada no próximo dia 19 de janeiro, diz que “cada pessoa pertence à humanidade e compartilha a esperança de um futuro melhor com toda a família dos povos”.

A partir de fevereiro, a Rede Vida vai apresentar a novela Os Imigrantes. A orientação do Inbrac é aproveitar a novela para aprofundar na sociedade brasileira as observações do papa Francisco sobre um mundo melhor para todos os povos.

Apresentada no dia 24 de setembro de 2013, a  mensagem do Papa Francisco para o Dia Mundial do Migrante e do Refugiado - dia 19 de janeiro de 2014 - tem o tema: “Migrantes e Refugiados: rumo a um mundo melhor”. O Dia Mundial do Migrante e do Refugiado foi instituído pelo Papa Pio X em 1914. O papa Francisco celebra a centésima edição, com uma palavra clara: "os migrantes e refugiados não são peões no tabuleiro de xadrez da humanidade"

Após a oração do Angelus dominical, na Praça de São Pedro, o Papa Francisco anunciou – “no clima de alegria típico deste tempo natalício” – que será de 24 a 26 de maio, “se Deus quiser”, a sua “peregrinação à Terra Santa”. A viagem vai comemorar o histórico encontro de janeiro de 64, entre o Papa Paulo VI e o Patriarca Atenágoras.

O papa Francisco adiantou que a viagem começa pela Jordânia, incluindo  “Amã, Belém e Jerusalém”. O Santo Padre anunciou que junto do Santo Sepulcro haverá um encontro ecumênico com os representantes das Igrejas cristãs de Jerusalém, juntamente com o Patriarca Bartolomeu, de Constantinopla. O papa Francisco pediu a todos orações por esta peregrinação em maio.

A Oração, a preocupação com os Migrantes e o encontro com as diferenças religiosas servem de reflexão para o cotidiano barretense.