22 de Setembro de 2019 | 09:28:33

22 de Setembro de 2019 | 09:28:33

15/01/2014 | Opinião / Editorial

Uma triste partida, alegres vitórias

Foi graças ao talento de José Amin Daher Neto que Barretos teve uma explosão no tênis

Existe sempre um sentido de tristeza humana diante da morte. Apesar de todos os conceitos cristãos, envolvendo a eternidade, a natureza íntima provoca sentimentos de profundas perdas em "cada despedida".

O acidente fatal com o tenista campeão brasileiro José Amin Daher Neto gera exatamente este sentimento de tristeza, motivada pela perda, pela saudade e pela memória.

É portanto oportuno deixar a dor passar e lembrar com emoção da figura viva e vencedora de um atleta vencedor, recordando as alegrias proporcionadas nas conquistas nacionais e internacionais.

- José Amin Daher Neto, o garoto do Grêmio de Barretos, o menino que chegou ao título brasileiro de tênis, foi a grande expressão do esporte barretense.

A lembrança será de José Amin em quadra se agigantando, crescendo diante de adversários mais fortes, mais badalados. Entretanto, era a figura do tenista dedicado, focado e vencedor que saia da quadra com o título.

José Amin Daher Neto começou no futebol na escolinha do inesquecível Olívio Gagliardi. Depois, foi para as quadras.  Uma evolução extraordinária, um aprimoramento técnico incomparável, uma vocação notável, uma carreira espetacular.

- Foi graças ao seu talento que Barretos teve uma explosão no tênis. É verdade que não começou com ele a paixão pela modalidade na cidade. Mas sem José Amin Daher Neto, certamente, a qualidade das quadras barretenses demoraria muito mais para avançar.

Se foi um acontecimento extremamente triste seu desaparecimento, fica na memória a imagem vibrante de um eterno campeão brasileiro. José Amin Daher Neto fez a história barretense ter um sentido de vitória, de conquista e de superação.

- Viveu a vida em plenitude.

A tragédia na rodovia Rio-Santos permite ainda reflexão sobre a vida e a morte. Afinal de contas, por que Deus permite "tamanha tragédia" para as famílias?  Nem o papa tem uma "resposta definitiva" para a questão. Mas é preciso levar em consideração a "misericórdia divina". Até Cristo passou pela morte e pelo sofrimento.  Entretanto, foi justamente na Santa Cruz que veio a "salvação" para todos.

- A liberdade que cada ser humano tem é que faz a fé ser real e não um mito. Deus é senhor e oferece em seu amor a capacidade para cada um agir conforme sua consciência, aplicar ou não seus talentos, conforme conta a parábola do evangelho. É assim desde Adão e Eva. Será eternamente. Portanto, não se pode culpar o divino pela fragilidade humana,  substância de cada criatura imperfeita.

O "adeus" a José Amin Daher Neto é tristeza pela partida, mas alegria por ter deixando uma história inspiradora de superação de barreiras, dificuldades e jogos com vitórias espetaculares.