23 de Setembro de 2019 | 10:45:50

23 de Setembro de 2019 | 10:45:50

19/01/2014 | Opinião / Editorial

A força da ACIB no comercio barretense

A importância da ACIB para a transformação de Barretos em uma cidade extraordinária

A participação dos empregos formais do comércio atacadista e varejista e do comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas no total barretense em 2012 foi de 21,84%. O rendimento médio foi da ordem de R$ 1.290,85, abaixo da média geral de R$ 1.619,06. A atividade indústria responde por 18,80% dos empregos formais e tem rendimento médio de R$ 1.775,05

Os dados da Fundação Seade com levantamentos de 2011 indicam que a indústria responde por 22,17% e Serviços e Comércio por 69,37 %. O agronegócio ativa 8,45% do PIB barretense.

A Associação Comercial e Industrial de Barretos atua justamente neste cenário da economia barretense: mais de 90% do PIB. Tanto no campo da geração de emprego e renda, como na construção do Produto Interno Bruto, a "representatividade" dinâmica da entidade é preciosa e decisiva, além de intransferível.

Uma época em que "todo poder corrompe e o poder absoluto corrompe absolutamente", na expressão definitiva de Lorde Acton, é importante avaliar a "necessidade de dirigentes lúcidos" comandando a ACIB.

Mais do que no passado e sem limites prévios para o futuro, vale a pena pensar na "utilidade criativa, transformadora e revolucionária da ACIB".  Sem deixar de ser política, ficar distante do partidarismo. Sem ranço, haurir novas expectativas. Sem extremismo,  democratizar dados. 

Não se quer uma ACIB destruidora dos valores históricos, limitada em suas fragilidades e iconoclasta vulgar.  Ao contrário, o novo processo parte das conquistas obtidas, da trajetória construída e da vivência adquirida para "entender de maneira dinâmica, racional e plural" as profundas mudanças da economia, do comportamento humano e das relações de consumo e trabalho.

A transparência é o caminho da confiança, a humildade o caminho do aprendizado e unidade o caminho do sucesso.  E mesmo que possa parecer um paradoxo, cada vez mais o comércio não faz acepção de pessoas e nem dos conceitos de presencial e virtual.

O desígnio de fomento do desenvolvimento econômico e do crescimento sustentável pede uma ACIB dotada de capacidade de ouvir intensamente, de ser sensível as dores do parto, atenta a pavimentar as diferentes fontes de energia de uma cidade melhor.

Uma ACIB competente para ver a questão social, as tensões comunitárias e as alternativas de liberdade e justiça é imediata. E por fim, antes de ser julgadora dos atos de seu segmento e da sociedade, ter o discernimento para apresentar um modelo de
desenvolvimento humano que gere paz e dignidade.

São muitos desafios. São grandes tarefas. São diversos conflitos. Entretanto, a verdadeira face da ACIB é sua manifestação de energia para atuar na transformação de Barretos em uma cidade extraordinária, bonita e feliz.