23 de Setembro de 2019 | 10:44:15

23 de Setembro de 2019 | 10:44:15

18/08/2015 | Especiais / Agronegócio

Governo paulista estuda medidas para valorização da laranja no Estado

Secretário Arnaldo Jardim comentou sobre três prioridades que estão em análise até o final do ano

Governo paulista estuda medidas para valorização da laranja no Estado

VISITA: Secretário estadual de Agricultura e Abastecimento, Arnaldo Jardim, visitou a região no início do mês
Tininho Júnior

Ampliar foto

O governo paulista estuda até o final deste ano medidas que deverão valorizar a produção e consumo em todo Estado. De acordo com o secretário estadual de Agricultura e Abastecimento, Arnaldo Jardim, os estudos em análise referem-se ao combate ao cancro cítrico e greening, campanha para aumentar o consumo do suco de laranja e diminuir a tributação entre suco integral, néctar e bebida aromatizada.

Sobre o combate às pragas, o secretário reconheceu que ao longo dos anos foram desenvolvidos métodos e procedimentos insuficientes. Agora, o governo paulista lançou a câmara setorial da citricultura com a participação de produtores, indústria, fabricantes de insumos e pesquisadores. “Estamos abrindo o processo de revisão da nossa norma sanitária para enfrentar essas doenças. Está claro que há uma situação de fato e temos até o final do ano para discutir e fixar isso inclusive com diálogo com o Ministério da Agricultura”, disse. 

CAMPANHA: Arnaldo Jardim também comentou sobre as campanhas para  aumentar o consumo de suco de laranja no país. “Tivemos uma queda séria no consumo em escala mundial abrindo concorrência para uma série de outras bebidas que apareceram”, disse. “Estamos discutindo essa campanha com entidades e também normas  para preservação do suco fresco que tem ganhado muita força ”, acrescentou.  O secretário confirmou que neste tipo de consumo a durabilidade é menor, mas consegue-se manter o sabor que é bem apreciado pelo brasileiro.

TRIBUTOS:  Outra prioridade do governo paulista é discutir a tributação do suco, néctar e bebidas com aroma de laranja disponíveis no mercado. “São situações distintas e existe uma norma que iguala isso, queremos discutir uma graduação tributária diminuindo a taxa sobre o suco e aumentar nas bebidas com aroma”, finalizou.