18 de Novembro de 2017 | 19:17:25

18/06/2017 | Especiais / Saúde e Bem Estar

Médico orienta sobre anemia e alerta para importância do diagnóstico correto

Especialista explica sobre anormalidades hematológicas mais comuns

Médico orienta sobre anemia e alerta para importância do diagnóstico correto

SAÚDE: O dr. Gilberto Colli é médico hematologista no Hospital de Câncer e Unimed
Tininho Júnior

Ampliar foto

O hematologista Gilberto de Freitas Colli (CRM 46.426) destaca a importância do diagnóstico correto em casos de anemia e outras doenças relacionadas para a indicação do tratamento mais adequado. “O tipo mais comum de anemia é a ferropriva (por deficiência de ferro)”, explicou. Segundo o dr. Gilberto, na criança as causas mais comuns são a falta de ingestão de ferro pela mãe durante a gestação, a má nutrição infantil e as parasitoses. “No adulto, a anemia ferropriva é consequente de sangramentos (ocultos ou não) até prova em contrário”, afirma.

Com experiência de mais de 30 anos no Hospital de Câncer de Barretos, e agora atendendo também na Unimed, o especialista esclarece que o hemograma é um exame de sangue comum, de fácil coleta e realização, que pode ser usado como ferramenta valiosa na prática médica diária. “Clínicos, pediatras, cirurgiões e obstetras podem avaliar as modificações nos glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas, conforme o quadro clínico dos seus pacientes”, afirma.  

ORIENTAÇÃO 
O dr. Gilberto Colli orienta sobre as principais alterações que podem ser verificadas através dos exames indicados.  Em relação aos glóbulos vermelhos, ele ressalta que a principal anormalidade é a anemia, esclarecendo que além da ferropriva (por deficiência de ferro), outros tipos menos comuns são a megaloblástica (por deficiência de ácido fólico ou vitamina B12), as relacionadas às doenças crônicas (hipotireoidismo, diabetes, insuficiência renal, câncer), as hemolíticas e as hereditárias (origem genética). “Além do hemograma, outros exames laboratoriais e/ou de imagem são necessários para elaboração do diagnóstico correto”, afirma.

Em relação aos glóbulos brancos, o médico esclarece que a leucopenia (diminuição dos glóbulos brancos) é um tipo de alteração bastante comum. Pode estar relacionada uso de medicamentos, infecções crônicas ocultas (hepatites B e C, HIV, Lúpus, Artrite Reumatóide), infecções agudas (Dengue, Zika), assim como algumas infecções por bactérias. “Já a leucocitose (aumento dos glóbulos brancos) é relacionada geralmente a infecções (bacterianas ou virais) e doenças hematológicas primárias (leucemias). É observada também nos meses finais da gravidez. Exames complementares solicitados pelo médico assistente são necessários para os diagnósticos diferenciais”, explica.

Em relação às plaquetas, o hematologista cita que a plaquetopenia (diminuição da quantidade de plaquetas) é frequentemente observada na prática clínica e que pode estar relacionada a infecções crônicas ocultas (hepatites B e C, HIV) e doenças reumáticas de doenças primárias da medula óssea. “Já a plaquetose (aumento da quantidade de plaquetas) pode ser observada na anemia ferropriva, na ausência cirúrgica do baço e em doenças hematológicas primárias. O diagnóstico correto envolve, além da história clínica e do exame físico, de exames complementares laboratoriais e/ou radiológicos”, completa.

Além de seu trabalho no HC da Fundação Pio XII, o hematologista  Gilberto Colli atende também pacientes da Unimed e particulares no ambulatório da cooperativa médica (avenida 27, entre ruas 16 e 18), todas as quartas-feiras, a partir das 14 horas.