24 de Setembro de 2017 | 07:12:44

13/09/2017 | Polícia / Polícia

Comando do 33º BPMI lamenta morte do tenente Okada

Oficial morto por bandidos em Osasco trabalhou em Barretos

Comando do 33º BPMI  lamenta morte do tenente Okada

O tenente coronel Marcos Antonio Marcondes de Carvalho, comandante do 33º BPMI, enviou nota a imprensa lamentando a morte do tenente Marcos Rogério Okada Veiros
Tininho Júnior

Ampliar foto

O  tenente coronel Marcos Antonio Marcondes de Carvalho, comandante do 33º BPMI, enviou nota  a imprensa lamentando a morte do tenente Marcos Rogério Okada Veiros,  vítima de bandidos, no último domingo (10) na cidade de Osasco.

O tenente ao termino de sua escala de serviço, após sair do 42º  Batalhão, retornava para casa conduzindo sua moto BMW.

Ele ao parar em um semáforo da avenida Lourenço Belloli no Jardim Baronesa, próximo a sede do batalhão, foi abordado por dois criminosos  em uma moto. Um dos marginais ao perceber que a vítima era policial, efetuou um disparo atingindo a  cabeça do tenente provocando sua morte.

A integra da nota é a seguinte:

O Comando do 33º Batalhão de Polícia Militar do Interior comunica com pesar o falecimento do Tenente Marcos Rogério Okada Veiros, vítima de possível latrocínio, no último domingo (10) na cidade de Osasco, quando de seu deslocamento de retorno ao lar após termino de sua escala de serviço; crime que está sob investigação desde então, inclusive com o apoio de nossa Corregedoria.

O Oficial serviu em nosso Batalhão de dezembro de 2014 a julho de 2015, durante estágio obrigatório como Aspirante a Oficial, de modo que sua morte em muito nos consterna, ao que externamos aos seus familiares e amigos nossos mais profundos sentimentos.

O trágico evento só vem a confirmar que o juramento por nós feito, de defender a sociedade a todo custo, inclusive com o extremo de por ela perder a vida, não é exceção e sim uma dura realidade enfrentada por nossos militares, pois ao serem reconhecidos como agentes da lei em um roubo, muitas vezes, sem qualquer chance de defesa, covardemente tem suas vidas ceifadas, simplesmente por serem Policiais Militares.

A morte de um Guerreiro nos traz dor e reflexão, mas acima de tudo, nos impulsiona a prosseguir de cabeça erguida, pois também aponta que estamos no caminho certo, somos a última barreira de proteção da sociedade, eis o porquê de sermos tão odiados pelos agressores da sociedade, para estes, asseveramos, não retrocederemos um milímetro; ao cidadão, reafirmamos nosso compromisso com a defesa da vida, a integridade física e a dignidade da pessoa humana, se preciso com o sacrifício da própria vida.

PRISÃO

Circulou nas redes sociais, uma informação até o final dessa edição não confirmada oficialmente pela PM,  que os dois marginais que participaram do assassinado do tenente Okada, tinham sido presos pela ROTA em São Paulo. O autor do disparo seria um adolescente de 15 anos.