14 de Dezembro de 2017 | 16:59:53

23/09/2017 | Especiais / Viagem e Turismo

Jornalista barretense relata encantos e atrativos de viagem ao Líbano

Guilherme Lacerda indica roteiros indispensáveis como a capital Beirute

Jornalista barretense relata encantos e atrativos de viagem ao Líbano

Lazer: Guilherme indica passeio em Anfeh, cidade banhada pelo Mediterrâneo
Divulgação

Ampliar foto

O Líbano é um país localizado na extremidade leste do mar Mediterrâneo, na Ásia Ocidental, numa região que faz ligação entre esse continente e a Europa. O jornalista barretense Guilherme Lacerda indica roteiros indispensáveis no pequeno país que preserva grande riqueza cultural. Segundo ele, é possível cruzar toda sua extensão de  carro, de norte a sul, em não mais de cinco horas.

No entanto, mesmo sendo um país de locomoção rápida são necessários pelo menos 10 dias para conhecer bem a capital Beirute e viajar para outras cidades "obrigatórias" para os turistas como Byblos, Baalbeck, Anfeh e Tiro. “O Líbano é considerado o país mais aberto do Oriente Médio e sua capital Beirute nos faz sentir na Europa, devido à arquitetura, lojas internacionais e a modernidade do centro da cidade”, disse. “Todas essas características ocidentais contrastam com os traços marcantes de um país localizado no Oriente Médio, com mulheres de burca pelas ruas e chamados para oração constantes das mesquitas que dividem espaço com diversas igrejas, uma vez que o país também possui forte história e influência cristã”, acrescentou. 

O jornalista informou que  um dos pontos mais interessantes do Líbano é ver muçulmanos e cristãos, mesquistas e igrejas, modernidade e tradição convivendo lado a lado, buscando manter a paz num país que passou por guerras recentes e se reergueu inúmeras vezes. Guilherme ressaltou que saindo de Beirute em direção ao norte, Byblos é uma cidade de parada obrigatória.

Considerada como uma das mais antigas do mundo e a capital do Império fenício, seu território abriga ruínas conservadas daquele período, além de atrair turistas pelo charme de suas ruas floridas e feitas de grandes pedras, além dos "souks", que são os mercados tradicionais onde é possível encontrar especiarias, souvenirs e uma infinidade de produtos. Mais ao norte, a cidade de Anfeh atraí os turistas interessados em passar o dia na praia.

Banhada pelo Mar Mediterrâneo, a cidade possui a fama de ser a Santorini libanesa, devido à sua arquitetura que remete à ilha grega. “Para um contato mais profundo com a cultura do país, as cidades ao sul são as ideais, onde também é muito maior o sentimento de estar num país do Oriente Médio”, informou. “Em Nabatieh, cidade onde dormi uma noite na casa de amigos libaneses, o conservadorismo e a presença forte do islamismo são percebidos de imediato, além de faixas, cartazes e bandeiras espalhadas pela cidade em referência ao Hezbollah, partido que possui maior poder no país e que, segundo muitos libaneses é o responsável pela paz existente hoje no Líbano”, lembrou.  Outra peculiaridade é  culinária considerada por Guilherme como espetacular.

A hospitalidade dos libaneses é mais um motivo para conhecer o país. “É muito fácil fazer amigos e todos os locais tentam ao máximo ajudar com informações, mesmo que por gestos ou improvisações”, relatou. De acordo com o jornalista, diferentemente do que muitos pensam no Brasil, a segurança no Líbano  que faz divisa com a Síria  é praticamente total. “Homens e mulheres podem andar pelas ruas tranquilamente a qualquer hora do dia sem nenhuma ameaça urbana, o que chega a ser estranho para nós brasileiros”, informou.

“Eu indico o Líbano como destino a todos que queiram unir diferentes aspectos numa mesma viagem, pois é possível entrar em contato com uma cultura muito distante da brasileira, idioma completamente diferente do nosso, visitar alguns dos locais mais antigos do mundo e que guardam vestígios de civilizações passadas, além de aproveitar praias maravilhosas e uma vida noturna muito agitada em Beirute. O Líbano é encantador”, finalizou.