14 de Dezembro de 2017 | 16:43:40

17/11/2017 | Esporte / Futebol

Barretenses apontam fatores para heptacampeonato do Corinthians

Esportistas corintianos comemoram título com três rodadas de antecedência

Barretenses apontam fatores para heptacampeonato do Corinthians

CAMPEÃO: Esportista barretense Radinho está em festa com título do Corinthians
Tininho Júnior

Ampliar foto

Corintianos barretenses analisaram os principais fatores para o sucesso do Timão, que conquistou de forma antecipada o 7º título do Campeonato Brasileiro. Após vitória de virada sobre o Flumi­nense, por 3 a 1, na arena em Itaquera, na quarta­-feira, o alvinegro atin­giu 71 pontos faltando três rodadas para o final da competição, marca que não pode mais ser alcançada pelos adver­sários. Segundo Lourival Lemes dos Santos, o Ra­dinho, diretor de arbitra­gem da Liga Barretense de Futebol, o Corinthians surpreendeu a crítica es­portiva e os próprios tor­cedores com uma cam­panha impressionante, devido a dois fatores.

“Determinação e humil­dade do time, principal­mente do treinador do Corinthians. Nosso time é razoável, não é melhor do que ninguém, sería­mos a quarta força, por­que na nossa frente teria Palmeiras, Atlético-MG e o Flamengo, que mon­tou um supertime, e nós correndo por fora”, con­tou. “Para nossa surpre­sa agradável, viemos no mesmo ritmo do Cam­peonato Paulista e não paramos de jogar. Virou o primeiro turno com muitos pontos de vanta­gem. No segundo, tive­mos uma caída violenta e no confronto contra o Palmeiras, a gota d’água, ganhamos do melhor time do Campeona­to Brasileiro, que estava mal escalado e mal diri­gido. Depois, ganhamos quatro jogos seguidos e fomos campeões”, finali­zou Radinho.

A professora de edu­cação física Luciana Zímaro, que atua como assistente na arbitragem de futebol e técnica de handebol em Barretos, disse que o fator mais importante na campa­nha corintiana foi a co­letividade. “Mesmo que Jô ou Jadson não esti­vessem bem, a equipe se manteve em um mesmo padrão, no mesmo es­quema. Com a entrada do Clayson, a equipe teve uma sustentação maior. Os jogadores es­tavam ansiosos com 15 pontos na frente e que­riam que o campeonato acabasse logo. Mas fu­tebol é um jogo após o outro. Eles se perderam um pouco no deslum­bramento, mesmo con­centrados, o time toma­va gols bobos e errava passes”, contou a barre­tense.


O advogado barretense José Maria dos Santos, que apresenta o progra­ma Esportes em Debate na rádio O Diário Inde­pendente FM e é vice­-presidente na LBF, elo­giou o trabalho de Fábio Carille. “Veio coroar o trabalho, principalmen­te do primeiro turno. O Corinthians não ia dei­xar de ser campeão até o final do campeonato. Na partida contra o Flu­minense, a equipe jogou com maestria, com qua­lidade e em casa. Impor­tante que foi na arena, perante uma multidão nas arquibancadas e no país todo. O trabalho do treinador foi importante. Fábio Carille é um cara centrado, com cabeça no lugar, tranquilo e sereno. Nas horas difíceis, sou­be ter o controle mental da equipe. O jogo contra o Palmeiras foi decisivo para o título, pois res­gatou a credibilidade da equipe”, disse.



FESTA: Técnico Fábio Carille é saudado pelos jogadores corintianos após 7º título