14 de Dezembro de 2017 | 16:53:46

04/12/2017 | Especiais / Saúde e Bem Estar

Nutricionista barretense destaca cuidados com emagrecimento para final de ano

Especialista orienta sobre as dietas jejum intermitente e alimentação a cada 3 horas

Nutricionista barretense destaca cuidados com emagrecimento para final de ano

SAÚDE: Guilherme Bezerra atua como nutricionista e educador físico em Barretos
Tininho Junior

Ampliar foto

O nutricionista barretense Guilherme Bezerra, que também atua como educador físico, esclareceu dúvidas sobre dietas em evidência entre famosos: jejum intermitente e comer de 3 em 3 horas. Com a chegada do final do ano e o início do verão (dia 21 de dezembro), algumas pessoas cometem exageros quando o objetivo é perder peso.

JEJUM INTERMITENTE
É importante tomar alguns cuidados para não prejudicar a saúde, segundo o nutricionista. “Muito se ouve falar atualmente sobre o termo jejum intermitente. Agora você vai saber tudo sobre ele, 'o queridinho das famosas'. Para aderir ao jejum intermitente, você deve antes adequar a sua dieta. A dieta ideal, que se adapta ao jejum intermitente, deve ter como base verduras, legumes, carnes e ovos. Para melhores resultados, é interessante diminuir muito a quantidade de carboidratos, e se preciso, aumentar a quantidade de gorduras boas”, disse Guilherme Bezerra, que orientou como se adaptar à dieta jejum intermitente. “Existem vários protocolos de jejum intermitente: de 16, 24 e 36 horas. O mais tradicional é o de 16 horas, que consiste em se alimentar em uma janela de apenas 8 horas por dia, e não comer nas outras 16 horas. Para facilitar, vou dar um exemplo: se você dorme das 23 horas às 7 horas, já são 8 horas de jejum. Basta adicionar 4 horas antes de dormir e 4 horas depois de acordar em jejum. Ou seja, acordar às 7 horas, almoçar depois das 11 horas e jantar antes das 19 horas”, disse o nutricionista.

COMER DE 3 EM 3 HORAS
Outro ponto abordado por Guilherme Bezerra é a dieta de alimentação a cada 3 horas, que já estava em maior evidência. “A grande confusão na cabeça das pessoas é a seguinte: fazer o jejum ou comer de 3 em 3 horas, como se ouve dizer há muito tempo? Bom, em primeiro lugar isso depende muito de pessoa para pessoa, pois varia de acordo com o tipo de alimentação ingerida, os horários das refeições e como se dá a prática de exercício físico. Segundo o Organização Mundial de Saúde (OMS) não existe nenhuma evidência científica de que comer de 3 em 3 horas, de fato, acelera o metabolismo”, avaliou o nutricionista, que continuou. “Hoje em dia vivemos uma verdadeira 'carbolândia', porque a base da nossa alimentação são os carboidratos, açúcares e farinha de trigo. Cada pessoa sente fome em um intervalo de tempo diferente e não basta apenas controlar os intervalos e as quantidades, o principal é a qualidade dos alimentos ingeridos. O nutricionista deve entender cada paciente e programar um cardápio que melhor se adapte para cada situação, pois cada um tem sua necessidade individual”, disse.

ORIENTAÇÃO
Sobre os exageros normalmente cometidos no final do ano, Guilherme Bezerra orienta para que as pessoas não sofram prejuízos com a saúde. “O ano contém 360 dias e não vai ser em apenas 30 que você que quer emagrecer vai conseguir bons resultados. Alimente-se bem, pratique exercícios físicos e durma bem. Mas lembre-se: cometer exageros é sempre um risco para saúde. Se você quer passar o Natal e o Réveillon mais 'seca' ou 'seco' invista no consumo de alimentos com maior teor de fibras, pois eles conferem mais saciedade. Prepare pratos coloridos e evite alimentos gordurosos. Um prato colorido indica maior variedade de nutrientes. A hidratação é sempre importante, recomenda-se uma média de dois a três litros de água por dia. Como meta para o próximo ano, faça escolhas alimentares saudáveis permanentes e com certeza terá mais ânimo, disposição, boas horas de sono e como consequência uma melhor qualidade de vida”, concluiu Guilherme Bezerra.