22 de Abril de 2018 | 17:07:12

12/01/2018 | Política / Política

Reunião define sobre varredeiras e sindicato evita imprensa

Entidade pretendia que todas voltassem a trabalhar na varrição de rua

Reunião define sobre varredeiras e sindicato evita imprensa

DECISÃO: Reunião entre prefeito, representantes das varredeiras e sindicato aconteceu no gabinete da prefeitura
Tininho Júnior

Ampliar foto


Uma reunião entre o prefeito Guilherme Ávila, representantes das varredeiras e sindicato da categoria, definiu a recolocação das profissionais no mercado de trabalho. O presidente do Sindicato da Limpeza de Barretos e região, Luiz Antônio Miranda, não saiu satisfeito da reunião e evitou falar com a imprensa. A meta da entidade era que todas as varredeiras fossem realocadas na empresa para continuarem no mesmo serviço.  O prefeito Guilherme Ávila disse que, dentro do que foi possível, o mais importante é não deixar ninguém desamparado. “Não era o ideal, parabenizo o sindicato na luta pelos direitos, porém conseguimos solucionar e todas terão carteira assinada”, disse. O chefe do Executivo  reiterou que das 32 varredeiras, 12 serão recontratadas pela empresa Seleta, 10 atuarão nos serviços de limpeza da Fundação Pio XII e outras 10 integrarão equipe de empresas da cidade. Os espaços públicos como as praças e Região dos Lagos continuarão com os serviços normalmente. “Nos bairros é preciso que cada um faça sua parte, coloque sua lixeira,  é uma questão de educação e precisamos evoluir mantendo as calçadas limpas”, declarou. Ele ressaltou que cidades como Ribeirão Preto e Bebedouro não têm varrição nas portas, fato que gera economia a esses municípios. “O caminhão do lixo vai continuar passando e fazendo o recolhimento e estamos apenas nos adequando”, acrescentou.

OUTRO LADO: A varredeira Teresa Cristina da Silva , que atua no serviço há 15 anos, disse que está triste com a decisão e que preferia voltar às ruas. Ela ressaltou que está de aviso prévio até 19 de janeiro e preocupada com as contas do mês que vem. “Acho errado, criei meus filhos fazendo isso e não queria sair, gosto muito e já varri Barretos inteira cobrindo férias”, finalizou. Um manifesto pelo retorno das profissionais às ruas está marcado para amanhã, às 13 horas, na Praça Francisco Barreto.

LEGISLATIVO: O vereador Betim da Comunidade (PSDB) acompanhou a reunião e disse que ficará atento ao cumprimento do acordo. “Não podem ficar desamparadas e mesmo depois de contratadas vou acompanhar o caso”, disse.