11 de Dezembro de 2018 | 18:31:10

13/03/2018 | Cidade / Cidade

Agência de fomento divulga investimentos na região de Barretos

As indústrias foram as principais tomadoras de crédito na região

Agência de fomento divulga investimentos na região de Barretos


Divulgação

Ampliar foto

O balanço de 2017 da Desenvolve SP – Agência de Desenvolvimento Paulista – revela a liberação de R$ 10 milhões em financiamentos para a região de Barretos, valor 235% superior ao liberado em 2016. Entre os destaques, os números apontam o bom desempenho da indústria, responsável por demandar metade dos recursos, e dos setores do comércio e de serviços, que voltaram a investir após um ano de recessão.

“O poder de investimento das empresas foi afetado drasticamente pela crise econômica nos últimos anos. Em 2017, no entanto, acompanhamos uma retomada gradual dos negócios em todo o estado e, na região de Barretos, o grande volume de operações de capital de giro indica que os empresários estão se preparando para voltar a crescer”, diz Milton Luiz de Melo Santos, economista e presidente da Desenvolve SP.

As indústrias foram as principais tomadoras de crédito na região, demandando R$ 5 milhões em financiamentos em 2017 contra R$ 2,7 milhões do ano anterior, uma alta de 83%. Na sequência, após passarem o ano de 2016 sem realizar nenhum investimento, aparecem as empresas prestadoras de serviços, com R$ 4,6 milhões, e os comércios, com R$ 342 mil.
“Com as quedas sucessivas da taxa básica de juros, o crédito mais barato e um recuo significativo da inflação, as empresas voltaram a investir para se prepararem para o reaquecimento da economia”, explica o economista.

Ainda segundo o balanço, os financiamentos foram destinados para projetos de ampliação e modernização, aquisição de máquinas e equipamentos e, principalmente, para operações de capital de giro, que saltou de R$ 1 milhão em 2016 para R$ 8,4 milhões em 2017, crescimento de 734%.
Os desembolsos da Desenvolve SP foram destinados para as cidades de Barretos (R$ 1,4 milhão), Bebedouro (R$ 4 milhões), Olímpia (R$ 194,4 mil), Pirangi (R$ 4,4 milhões) e Viradouro (R$ 92 mil).