25 de Setembro de 2018 | 10:21:30

17/03/2018 | Polícia / Polícia

Condutor de Jet Ski envolvido em acidente que matou aposentado se apresenta a polícia

Atropelamento aconteceu no domingo no rio Grande

Condutor de Jet Ski envolvido em acidente que matou aposentado se apresenta a polícia

Delegado Antonio Alicio e investigador Silvio observam Jet Ski envolvido no acidente
Luis Nascimento

Ampliar foto

Um homem de 48 anos,  apontado como condutor do Jet Ski, que no domingo (11),  atropelou três pessoas, no rio Grande, no município de Barretos   causando a morte de um aposentado de 71 anos, prestou depoimento na manhã de sexta-feira (16) no 1º Distrito Policial. 

A vítima  José Aparecido da Silva, que residia em Barretos,  chegou a ser socorrido com politraumatismo, ficou internado na UTI da Santa Casa e teve a morte confirmada na noite de terça-feira (13). 

Dois amigos do aposentado,  com idades de 47 e 51 anos sofreram ferimentos leves e foram medicados e liberados.

O gerente de uma fazenda localizada próxima ao local do acidente, foi apontado como sendo o condutor do Jet Ski.

Ele conhecia as vítimas e chegou a prestar socorro.

O gerente se apresentou acompanhado do seu advogado Mario Marcio Covacevick e foi ouvido a respeito dos fatos, pelo delegado Antonio Alício Simões Júnior.

O Jet Ski também foi apresentado para investigação.

O advogado confirmou que o gerente não é habilitado para conduzir Jet Ski, e que não teve intenção alguma em provocar o acidente  que na realidade foi uma fatalidade.

“Ele não teve intenção alguma, está totalmente transtornado, não está aceitando o que aconteceu, foi uma fatalidade. Ele não tinha noção ou entendimento, porque é um rapaz semi analfabeto de  que para andar com esse Jet Ski necessitava de algum tipo de documentação. O Jet Ski estava guardado  na fazenda onde o mesmo é gerente lá faz mais de sete anos. Ele pegou sem autorização do filho dele,  para dar uma volta e aconteceu essa fatalidade. Ele não estava embriagado, porque encontrava-se a base de remédio há 30 dias tomando antibióticos” disse o advogado.

A defesa ressaltou  que o Jet Ski pertence a sogra do filho do gerente.

O advogado confirmou que que o condutor conhecia as vítimas. 

“Ele conhecia as vítimas, olha a fatalidade, o senhor que morreu eles trabalharam juntos há 12 anos atrás, era amigo dele. É um bom cidadão, trabalhador que infelizmente agora terá que arcar com uma situação de homicídio culposo e uma lesão corporal culposa das outras pessoas” concluiu o advogado Mario Marcio Covacevick.

O delegado Antonio Alicio Simões Júnior confirmou que o gerente foi interrogado pelo crime de homicídio culposo e também lesão corporal, uma vez que causou ferimentos em  outras duas vítimas.

“ Ele foi interrogado por homicídio culposo e pelas lesões corporais que provocou nas outras duas vítimas. Foi informado pelo advogado que ele não possui habilitação, em virtude disso a Marinha será comunicada, e eu acredito que também ele receberá alguma penalidade administrativa, ou seja uma multa por esse fato. Todos se conheciam, a gente não vê a princípio nenhuma intenção de provocar o acidente, por isso nós estamos tratando até então como homicídio culposo. Ele vai responder o processo em liberdade” concluiu o delegado Antonio Alicio.