24 de Abril de 2018 | 18:07:59

15/04/2018 | Esporte / Futebol

Técnico e jogadores do Barretos mantêm confiança no acesso

Só a vitória interessa ao Touro contra a Portuguesa Santista fora de casa

Técnico e jogadores do Barretos mantêm confiança no acesso

TORCIDA: Estádio Fortaleza recebeu bom público no primeiro jogo entre BEC x Portuguesa Santista
Jânio Munhoz

Ampliar foto

O técnico Paulinho McLaren e jogadores do Barretos estão confiantes que a equipe consiga reverter a vantagem da Portuguesa Santista na próxima sexta-feira à noite no estádio Ulrico Mursa. Após abrir dois gols de vantagem ainda no primeiro tempo, o Touro viu a Briosa empatar na etapa final. Com isso, a equipe de Santos fica à frente no confronto, pois novo empate garante o acesso ao time do litoral. Apesar do sabor amargo no estádio Fortaleza, o pensamento tanto de barretenses, quanto do adversário é de que a decisão ainda está aberta. O técnico Paulinho McLaren elogiou o rival e lamentou que o Barretos não marcou o terceiro gol, que deixaria a equipe novamente em vantagem.

“A gente não se encolheu. Eles impuseram um ritmo forte e sabíamos que seria desta forma. Tentamos achar uma bola para abrir uma vantagem e fazer o terceiro. Sabíamos que em algum momento a gente tinha que abrir o jogo, como abrimos um pouco mais, fomos à frente e tivemos chance de fazer o terceiro. Colocamos uma bola na trave e fizemos um gol com o Éder (anulado pela arbitragem)”, analisou o comandante que continuou. “Mas não dá para lamentar, está em aberto, não tem nada que a gente não reverta. O que não dá é a gente se entregar”, complementou McLaren. Ele acredita que o BEC consiga repetir uma boa partida, assim como foi contra o Desportivo Brasil, quando a equipe garantiu a classificação para a semifinal. Entre os motivos a serem destacados por Paulinho McLaren no jogo na baixada santista, estão os retornos de Luizinho Mello, que estava suspenso, e do Alex Flávio, ausente no estádio Fortaleza. “É ter tranquilidade e jogar o jogo que podemos fazer lá. Assim como foi contra o Desportivo, que buscamos o resultado sempre”, contou.

Após a partida, os jogadores do Barretos lamentaram a perda da vantagem conquistada na etapa inicial. Mas citaram o primeiro tempo contra a Portuguesa Santista como modelo a ser seguido no estádio Ulrico Mursa. “Fica difícil explicar o que aconteceu no segundo tempo. Não tinha nada decidido e a gente entrou meio disperso e desligado. Agora está 0 a 0 e vamos buscar fora”, analisou o lateral Alex Barros.  O atacante André Luiz disse que o Touro tentará o placar que interessa em Santos. “A gente bobeou, tomou o empate e se quiser subir tem que buscar o resultado lá”, disse. Já o zagueiro Eder, novidade na equipe na ausência de Alex Flávio, confirmou que o Barretos é capaz de voltar do estádio Ulrico Mursa com o acesso à A-2 e uma vaga na final. “Faz parte do jogo, quando descemos do primeiro tempo nos alertamos para coisas que o futebol pode nos proporcionar. Era uma vantagem que foi construída, eles tiraram. Da mesma forma que construímos um resultado aqui, a gente tem capacidade de ir lá e reverter”, contou à reportagem da rádio O Diário Independente FM.

O técnico Sérgio Guedes destacou o comportamento de sua equipe, principalmente ao reagir no segundo gol marcado pelo Barretos. Feliz com o resultado e a vantagem para o segundo jogo, ele vê o confronto totalmente aberto. “É motivador, nas circunstâncias. O pior foi superar o segundo gol, com 2 a 0 e uma penalidade inexistente, e ainda ter forças, isso é superação. O time mostrou uma qualidade muito forte. Mas é um jogo aberto, o adversário é competente. E lá vai ser a mesma coisa, serão bem recebidos, vai ter campo cheio, como estava aqui”, disse o comandante, que perdeu Rômulo lesionado e Gustavo Henrique expulso. Em entrevista após a partida, o zagueiro Dema destacou a vantagem da Santista para a decisão do acesso. “O grupo foi vitorioso por este empate. A vantagem existe, temos o direito de jogar pelo resultado igual para buscar o acesso”, contou.

FICHA TÉCNICA

Barretos: Willian; Crystian (Gabriel Inocêncio), Eder, Guilherme e Alex Barros; Ualefi, Felipe Merlo e Hugo (Zezinho); João Henrique, Gabriel Barcos (Batata) e André Luiz. Técnico: Paulinho McLaren.

Portuguesa Santista: Cleyton; Rafael Ferro, Dema, Gustavo Henrique e Rômulo; Diogo Lopes, Tufa, Renan Morales (Laionel) e Carlos Alberto; Anderson Magrão (Rodriguinho) e Diego Palinha (Carlinhos). Técnico: Sérgio Guedes.

Gols: Gabriel Barcos aos 29 e 43 minutos do 1º tempo (Barretos); Rafael Ferro aos 9 minutos do 2º tempo e Rodriguinho aos 39 minutos do 2º tempo (Portuguesa Santista).

Cartões amarelos: André Luiz (Barretos); Tufa, Gustavo Henrique, Cleyton e Rodriguinho (Portuguesa Santista).

Cartão vermelho: Gustavo Henrique (Portuguesa Santista).

Arbitragem: Alessandro Darcie, auxiliado por Marco Antonio de Andrade Motta Junior e Mauro André de Freitas, com o 4º árbitro Cleber Luis Paulino e o delegado Marcio Verri Brandão.