22 de Maio de 2018 | 10:46:56

15/05/2018 | Economia / Economia

Tereos usa sistema de satélites no combate aos incêndios no campo

O serviço usa 13 satélites e permite o monitoramento remoto

Tereos usa sistema de satélites no combate aos incêndios no campo

Campanha educativa começa nesta segunda quinzena
Ilustração

Ampliar foto

Neste início da safra 2018/2019 de cana-de­-açúcar, a Tereos, ter­ceiro maior grupo de açúcar do mundo, lança uma campanha educa­tiva para prevenção de incêndios no campo e anuncia a implantação de um sistema pionei­ro de satélites para o monitoramento de seus canaviais, denominado GMG. “Investimos em tecnologia para enfren­tar um dos problemas mais sérios que atingem o setor sucroenergético. Os incêndios nos cana­viais trazem prejuízo a toda a cadeia produti­va e impactam o meio ambiente e a popula­ção das comunidades onde atuamos”, afirmou Pierre Santoul, diretor­-presidente da Tereos Açúcar & Energia Bra­sil. “Continuamos em­penhados em colaborar com os poderes públicos na prevenção e combate aos incêndios no cam­po”, completou.

Na safra passada (2017/2018), durante o inverno mais seco dos últimos 30 anos na re­gião Noroeste do Estado de São Paulo, onde es­tão localizadas as sete unidades industriais do grupo, a Tereos deu iní­cio ao desenvolvimento do projeto piloto ORION (sigla para Observed Re­mote Information from Orbital Navigation), um novo investimento que vem a se somar aos es­forços que a companhia já vem realizando para a prevenção e combate de incêndios. O projeto uti­liza a ferramenta de mo­nitoramento por satélite desenvolvida pela startup GMG Ambiental, de São José do Rio Preto.

O serviço, baseado no georreferenciamen­to orbital, usa 13 saté­lites e permite o moni­toramento remoto, com o envio automático de alertas das ocorrências diretamente à Central de Controle da Tereos, localizada na unidade industrial Cruz Alta, em Olímpia. Os satélites contratados pela GMG Ambiental são operados por agências governa­mentais – entre eles a NASA e a agência de meteorologia america­na (NOAA) – e empresas privadas.