24 de Junho de 2018 | 15:24:35

07/06/2018 | Cidade / Cidade

Ex-presidente do Conselho Tutelar de Barretos é condenado por corrupção

Acusado diz ser vítima de “armação” e que irá recorrer em todas as instâncias

Ex-presidente do Conselho Tutelar de Barretos é condenado por corrupção

FUNÇÃO: Anderson Roberto de Jesus na época em que atuava no Conselho Tutelar
Tininho Junior

Ampliar foto

A 2a Vara Criminal de Barretos condenou o ex-presidente do Conselho Tutelar, Anderson Roberto de Jesus, por corrupção passiva à pena de 5 anos e 4 meses de reclusão e ao pagamento de 26 dias-multa, fixado este em 1/30 (um trigésimo) do salário mínimo vigente ao tempo dos fatos.  A decisão, assinada pela juíza Fernanda Martins Perpetuo de Lima Vazquez, faculta ao acusado o direito de apelar em liberdade.

De acordo com o processo,  no dia 20 de março de 2015, por volta das 18 horas, na sede do Conselho Tutelar do município, “o denunciado recebeu, para si ou para outrem, diretamente, em razão da função de Conselheiro Tutelar, vantagem indevida das vítimas Rogério Barbieri Junior e Tayna Silva Marques Gomes, consistente no valor de R$ 600,00, deixando de praticar ato ao qual estava obrigado de ofício”.  Ainda conforme a sentença, “conforme demonstrado nos autos, o acusado deixou de confeccionar e de encaminhar ao órgão competente os relatórios de fiscalização acerca da presença de menores de idade em festa promovida pelas vítimas, onde eram servidas bebidas alcoólicas e inclusive, com o encaminhamento de adolescentes para tratamento em hospital da cidade”.

OUTRO LADO
Anderson Roberto de Jesus, que é o administrador de grupo no Facebook, publicou comunicado na rede social alegando ser vítima de “armação” quando presidia o Conselho Tutelar e informou que irá recorrer da decisão do judiciário barretense.          “Foi perdida uma batalha, e não a guerra, vou recorrer em todas as instâncias para provar minha inocência. Pois a justiça do homem é falha, já que quem decide é um ser humano. Mas mesmo assim, buscarei nas instâncias superiores provar minha inocência. Falar e mostrar a verdade em Barretos tem preço”, afirmou.

O advogado Jailton Rodrigues do Santos, que representa Anderson no processo, afirmou que o recurso será apresentado ao Tribunal de Justiça paulista. “As provas nos autos não eram capazes de uma condenação. Acreditamos que seja possível a absolvição provando a inocência no Tribunal em São Paulo ou em Brasília”, declarou.