23 de Setembro de 2018 | 17:18:28

14/07/2018 | Opinião / Editorial

O estado laico e a democracia plena

Dom Milton Kenan tem sido zeloso pastor nesta missão pastoral, social e humana.

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil é fonte importante para que os leigos possam entender a caminhada de igreja no país e no mundo. Os bispos reunidos oferecem diretrizes para todos os católicos e não apenas para uma diocese. A orientação segue uma direção, apontada pelo papa, sempre protegida pela luz do evangelho de Jesus.

Dom Milton Kenan - bispo diocesano de Barretos - tem conduzido o rebanho de Deus com uma visão clara, um coração aberto e uma orientação segura, especialmente em tempos de dificuldades, dúvidas e incertezas.

O documento 105 da CNBB é um dos mais precisos para o momento atual, tratando o laicato como "sal da terra e luz do mundo".

A CNBB recomenda ficar atento. Quando se deseja justificar um tipo de restrição à manifestação da Igreja ou para combater a tradição do povo, alguém diz que o Estado é laico. A observação quer confundir o Estado laico com Estado ateu. A crítica ofensiva é fazer passar a ideia que o estado laico impõe um povo sem fé, sem religião, sem esperança. A CNBB tem postura sempre muito fértil, oportuna e importante. A CNBB fala dos assuntos que tocam a caminhada do povo. Respeito a fé, respeito a liberdade, valorização da democracia. Igualdade. Justiça social. Vida plena.

A CNBB não pode ficar omissa. Não pode ficar indiferente. Não pode ser excluída de partilhar a vida em plenitude. Uma missão colocada em sua origem: ide por todo o mundo e pregai o evangelho de Jesus. O ano do laicato é oportunidade para ouvir com atenção cada mensagem da CNBB.

Dom Milton Kenan tem sido zeloso pastor nesta missão pastoral, social e humana.