15 de Outubro de 2018 | 20:39:34

17/07/2018 | Cidade / Diocese

Paróquia Nossa Senhora Aparecida de Olímpia celebra Jubileu de Diamante

A celebração foi concelebrada pelo padre frei Mauro de Oliveira

Paróquia Nossa Senhora Aparecida de Olímpia celebra Jubileu de Diamante

Dom Milton e o pároco, Frei Mauro de Oliveira, ofm
Ilustração

Ampliar foto

No dia 29 de junho, a Paróquia Nossa Senhora Aparecida celebrou o Jubileu de Diamante de sua fundação. Em ação de graças pelos 60 anos de evangelização enquanto paróquia, o bispo diocesano de Barretos, Dom Milton Kenan Júnior, presidiu a missa solene na igreja matriz da paróquia. O lema que motivou todos os paroquianos nas festividades foi “Gratidão ao Passado; Ardor no Presente e esperança no futuro!”.

A celebração foi concelebrada pelo pároco, o padre frei Mauro de Oliveira, ofm, o vigário paroquial, padre frei Nivaldo Pasqualim, ofm, e por padres da diocese e freis da ordem franciscana.

Dom Milton disse, durante a homilia, que todos deveriam olhar para o passado da paróquia com muita gratidão, viviam com ardor o presente e caminhar com esperança para o futuro. “Nesses 60 anos queremos recordar diante de Deus as muitas gerações de irmãos e irmãs nossos que aqui puderam alimentar a sua fé, viver a graça de seu batismo e de sua crisma, e da mesma forma abriram-se para a Eucaristia. Queremos recordar nessa noite as muitas famílias que constituíram e ainda constituem hoje essa comunidade, grande família do povo de Deus. Ao mesmo tempo queremos agradecer as diversas vocações aos ministérios eclesiais, e particularmente a vida consagrada e ao ministério ordenado, filhos e filhas dessa comunidade (...) que produzem muitos frutos para o bem da Igreja”, destacou.

O prelado agradeceu ainda a Deus pela presença Franciscana que desde a criação da paróquia tem sido um testemunho de entrega generosa ao serviço do Evangelho e de missão incansável por testemunhar a paz e o bem com a palavra e gestos.

Frei Mauro disse, durante a solenidade, que ali se fazia lembrar a igrejinha que São Francisco reconstruiu em Assis. “Tem espírito acolhedor, tem ambiente de oração e ambiente de contemplação! Todos sabem muito bem que esta igreja sempre se destacou como a igreja de portas abertas onde a beleza do templo é contemplada com o entusiasmo Franciscano. Todas as vezes que os sinos tocam nos fazem lembrar do apelo de Nossa Senhora: ‘Fazei tudo o que o Senhor nos disser!”, falou.