24 de Setembro de 2018 | 04:56:42

14/07/2018 | Esporte / Futebol

Barretense diz que questão política atrapalhou brasileiro para final da Copa

Argentino é escalado pela FIFA para decisão envolvendo França e Croácia

Barretense diz que questão política atrapalhou brasileiro para final da Copa

AVALIAÇÃO: Radinho elogiou a arbitragem na Copa e aposta no título da Croácia
Tininho Junior

Ampliar foto

O diretor de arbitragem da Liga Barretense de Futebol, Louviral Lemes dos Santos, o Radinho, acredita que uma decisão da CBF tenha impedido que Sandro Meira Ric­ci fosse escalado para a final da Copa do Mundo ou para a decisão do 3º lugar. Segundo o espor­tista, o árbitro que atua pela federação do Pa­raná é capacitado e te­ria condições de figurar na principal partida da competição. “O cotado era o Sandro Meira Ricci e o árbitro do Irã (Alireza Faghani), até quarta-fei­ra só se falava dos dois. Para nossa surpresa, apa­receu o argentino Nestor Pitana como árbitro da final da Copa e o árbitro do Irã para o jogo de 3º lugar”, disse.

A decisão lembrada por Radinho é sobre a entidade brasi­leira ter sido a única das Américas a ter votado contra a candidatura dos Estados Unidos, Canadá e México para a Copa do Mundo de 2026 – optan­do por Marrocos. Com isso, a Conmebol enviou pedido ao departamento de arbitragem da FIFA para a não escalação do brasileiro. “A nota de Sandro Meira Ricci foi 10. As outras duas no­tas dele nos jogos foram máxima. Teve três jogos tranquilos e mostrou que podia trabalhar”, conti­nuou o diretor de arbi­tragem. Nesta Copa, ele apitou Croácia x Nigé­ria e Dinamarca x Fran­ça, ambas pela primeira fase, e Rússia x Croácia, pelas quartas de final.

A arbitragem da fi­nal será composta por Néstor Pitana, Hernan Maidana e Juan Pablo Belatti. O quarto árbitro será um holandês: Bjorn Kuipers. A equipe do VAR será composta por Massimiliano Irrati (Itá­lia), Mauro Vigliano (Ar­gentina), Carlos Astroza (Chile) e Danny Makkelie (Holanda). Pitana, de 43 anos, distribuiu 12 car­tões amarelos nos quatro jogos no Mundial. Fina­listas da Copa, França e Croácia já tiveram o ar­gentino como árbitro na competição. Ele apitou a vitória dos croatas nos pênaltis sobre a Dina­marca, nas oitavas, e o 2 a 0 dos franceses nos uruguaios, nas quartas.