15 de Outubro de 2018 | 20:38:14

08/08/2018 | Cidade / Cidade

Presidente de Os Independentes esclarece sobre PF e Ministério do Trabalho

Entidades estiveram no Parque do Peão para visita de fiscalização

Presidente de Os Independentes esclarece sobre PF e Ministério do Trabalho

Presidente Ricardo Rocha esclareceu sobre PF e Ministério do Trabalho no Parque do Peão
Tininho Junior

Ampliar foto

O presidente de Os Independentes, Ricardo Rocha, esclareceu sobre a presença da Polícia Federal e do Ministério Público do Trabalho, no Parque do Peão. Segundo ele, a visita de fiscalização do Ministério do Trabalho é de praxe em grandes eventos como o Lolapalooza, Rock in Rio e Agrishow. “Barretos faz parte desses grandes eventos,  foi uma visita técnica  visando a segurança dos funcionários que atuam na montagem,  verificar se estão registrados e o uso de equipamentos de trabalho. Essas pessoas da fiscalização precisam estar sempre acompanhadas da Polícia Federal”, enfatizou. O presidente afirmou que, por orientação, o Parque teve acesso restrito.

“São muitas máquinas trabalhando, muitas obras acontecendo e até para segurança do turista, pediram que nesses dias próximo ao evento o acesso fosse restrito e só liberado para quem realmente está trabalhando”, afirmou. A equipe do Ministério do Trabalho solicitou algumas adequações e melhorias pontuais, mas sem prazo para conclusão. Um exemplo é aumentar o número de bebedouros de água no refeitório dos funcionários. “Vamos cumprir ao longo do tempo e encaminhar a eles, a visita foi muito proveitosa para nós, pois muitas vezes deixamos de ver os pequenos detalhes do dia a dia. Nosso evento quer ser melhor a cada ano e está aberto para todos”, finalizou. O presidente desmentiu boatos de que teria sido preso pela Polícia Federal. “A PF não tem nada a ver com a fiscalização, veio somente para escoltar a equipe do Ministério Público, demos total respaldo e agradeceram a forma como os recebemos”, finalizou.

FISCALIZAÇÃO

O Ministério do Trabalho informou que foram interditados alguns serviços no Parque “por riscos à saúde e à segurança dos empregados”. A fiscalização começou no último sábado (4), com a equipe verificando as condições dos trabalhadores que fazem a montagem das estruturas móveis utilizadas no decorrer do evento.

Foram interditados os andaimes, carpintaria, serralheria  e as tendas de lona, montadas a 10 metros do solo sem procedimentos adequados para o trabalho em altura.

Segundo o Ministério do Trabalho, estas atividades só poderão ser retomadas após uma inspeção em que se verifique que as adequações foram adotadas. Também foi interditado um alojamento com rachaduras nas paredes e instalações elétricas improvisadas, sem sanitários ou local adequado para refeições.

Além do Ministério do Trabalho, a equipe do chamado Grupo Especial de Fiscalização Móvel é composta por Polícia Federal, Ministério Público do Trabalho e a Defensoria Pública da União.