22 de Setembro de 2018 | 16:10:30

14/09/2018 | Cidade / Cidade

Barretense critica falta de respaldo da CPFL e soma prejuízos

Empresa alega que não houve registro de “perturbação no sistema elétrico”

Barretense critica falta de respaldo da CPFL e soma prejuízos

ENTREVISTA: João Garrucho contou sobre o problema causado pela oscilação da rede de energia elétrica
Tininho Junior

Ampliar foto

O corretor de seguros  João Garrucho critica a falta de respaldo da CPFL após solicitar à empresa de energia reparo em equipamentos. Segundo ele, na tarde de 11 de setembro, por volta das 15h20, percebeu em sua corretora duas descargas de energia. Posteriormente, verificou danos em três equipamentos. Em menos de 10 minutos, o corretor acionou o 0800 da empresa comunicando o fato para duas atendentes que o encaminharam para a agência da empresa, no bairro Christiano Carvalho. Ele foi ao local na tarde de quarta-feira (12) para registrar o pedido de ressarcimento. “Fiquei 20 minutos esperando atendimento e a resposta saiu em menos de dois minutos”, disse.

No documento, a empresa informou que a solicitação de ressarcimento de danos em aparelhos elétricos não foi acatada  e apontou os motivos. “Não há registro de perturbação no sistema elétrico que possa ter afetado a unidade consumidora para a data e hora aproximadas da ocorrência do dano”, diz o relatório. E acrescentou que, segundo determinação da ANEEL, perturbação no sistema elétrico são modificações das condições de operações normais. O corretor informou que arcará com os prejuízos, mas vai procurar seus direitos. “O jeito que responderam parece que estou mentindo, sou um cidadão de bem e vou atrás dos meus direitos, inclusive no Procon”, disse.

OUTRO LADO
A CPFL Paulista informou que a solicitação do cliente  para o ressarcimento por danos aos seus equipamentos foi indeferido e reiterou que não houve registro de problema no sistema elétrico que possa ter afetado a unidade consumidora para a data e hora aproximadas da ocorrência do dano.

A distribuidora  esclareceu que as indenizações são feitas aos consumidores que tiverem equipamentos elétricos danificados em situações que fique comprovada a responsabilidade da concessionária, seguindo todas as exigências dos órgãos reguladores, sendo avaliados conforme a Resolução Normativa n. 414/10 da Aneel.
“No caso do cliente em questão, não foi encontrada a comprovação necessária para o ressarcimento”, informou a empresa em nota à imprensa.