22 de Setembro de 2018 | 16:05:51

14/09/2018 | Esporte / Futebol

Barretos aciona FPF após impedimento na construção de estádio em Atibaia

Presidente de honra diz que clube reivindicará vaga na série A-2 de 2019

Barretos aciona FPF após impedimento na construção de estádio em Atibaia

ACESSO: Milton Aparecido da Silva tem expectativa que o BEC consiga vaga na A-2
Tininho Junior

Ampliar foto

O Barretos Esporte Clube entrou em contato com a Federação Paulista de Futebol para se informar sobre os times que disputarão a série A-2 de 2019. O Ministério Público pediu anulação de um acordo que viabilizaria a construção de um novo estádio para o Atibaia, campeão da A-3 deste ano. Como o atual estádio Salvador Russani não tem condições de receber a competição, a equipe poderia perder o acesso. O diretor do BEC, Milton Aparecido da Silva, confirmou que acompanha a situação e reivindicará a vaga na série A-2 caso o Atibaia seja mesmo impedido. “Já mantive contato com o departamento de competições da Federação Paulista e agora é aguardar um posicionamento deles. O melhor time da 3ª fase foi o Barretos”, contou. Outro time que pode se interessar no caso é o Penapolense. O time teve melhor campanha na somatória das fases e acabou eliminado pela Portuguesa Santista na semifinal. Segundo o presidente de honra do BEC, o regulamento não confirma qual o critério para mostrar quem herda o acesso.

FORTALEZA
Milton Aparecido da Silva confirmou que aguarda as obras de adequação no estádio Fortaleza, que segue interditado pela Federação Paulista de Futebol. O diretor informou que o relatório dos itens a serem cumpridos está protocolado na prefeitura de Barretos. “São 44 itens para atender a Federação Paulista de Futebol”, explicou. A entidade pede melhorias no vestiário do visitante, manutenção na parte elétrica do estádio, reparos na arquibancada geral, entre outras. De acordo com o dirigente, o time que conquista o acesso deve jogar pelo menos a primeira temporada em sua cidade sede. “Não podem mudar de cidade, senão tem que pagar uma taxa de R$ 800 mil para jogar em outra cidade”, analisou.

CASO
O Ministério Público entrou com um pedido na Justiça para anular a permuta que viabilizaria a construção de um estádio municipal, assim como uma rodoviária em Atibaia. O acordo chegou a ser aprovado em junho pela Câmara daquela cidade. A permuta envolveria a cessão de terrenos, por parte da prefeitura, para que uma construtora fizesse o estádio e a rodoviária. Segundo o MP, não há “interesse público devidamente justificado" na troca.

REPRISE
Em outubro de 2015, o BEC foi convocado pela Federação Paulista para disputar a série A-2 do ano seguinte. Na época, o próprio Atibaia tinha conquistado o acesso, mas foi impedido justamente por não ter estádio apto para receber jogos da série A-2.