15 de Outubro de 2018 | 12:34:11

22/09/2018 | Cidade / Cidade

Pré-Paralimpíadas é realizada na escola Aymoré do Brasil

Maria Augusta Lopes Vilarinho, vice-presidente da ABAVIN agradeceu a escola pela parceria

Pré-Paralimpíadas é realizada na escola Aymoré do Brasil

PARALIMPÍADAS: Atividades foram realizadas na escola Aymoré com participação dos alunos
Tininho Junior

Ampliar foto

A escola estadual Aymoré do Brasil e a Associação Barretense Vida Nova (ABAVIN) realizaram a Pré-Paralimpíadas 2018. O evento, realizado ontem,  também fez parte  das comemorações do Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência. A ação foi uma parceria da escola com as entidades que trabalham com as pessoas portadoras de deficiência e contou com a presença da dirigente regional de ensino Solange Belini, a supervisora de educação Maria Antonia Daushas, supervisora Maria Alice Zomenhan Silva, e das professoras do núcleo pedagógico da Diretoria de Ensino, Luzia Marques e Daisi Pereira.  Os alunos participaram juntamente com as entidades  de oficinas, com  danças, pinturas e apresentação de músicas, etc.
“Nossa escola é de período integral e trabalhamos muito nosso protagonismo juvenil. Então é muito importante que os alunos  tenham  noção de como é poder  conviver com os outros e exercer o protagonismo deles. Também é muito importante para o nosso  projeto de vida, para a gente apreender a viver nas comunidades, entre outros fatores”, disse a aluna Thayna Harumi, do 9º ano A.

A professora Jane Aparecida da Silva Martins, diretora da escola, informou que a parceria com a ABAVIN existe há dois anos. “É uma parceria onde há uma troca de experiência, em que os alunos podem aprender a conviver com pessoas com deficiências. Eles fazem atividades juntos e verificam  que todo mundo é capaz.  A importância maior é isso, eles  conviverem e conhecerem outras pessoas”, explicou.

Maria Augusta Lopes Vilarinho, vice-presidente da ABAVIN  agradeceu a escola pela parceria. “Nosso obrigado à escola Aymoré do Brasil por essa bela parceria que está formando cidadãos conscientes do seu papel. É mais fácil você trabalhar com as crianças, com os alunos, que são a riqueza toda do nosso país”, concluiu.