18 de Novembro de 2018 | 23:49:37

11/11/2018 | Opinião / Editorial

A missão da imprensa, segundo o papa

A mensagem do papa retomou sua palavra de fomento ao esforço da imprensa

Papa Francisco destacou a missão da imprensa em ajudar a sociedade a ver além dos “muros de tristeza e de resignação”. O sucessor de Pedro acolheu mais de 300 alunos e profissionais da Escola de Jornalismo da Igreja Católica na Alemanha.

O “estilo cristão” de fazer jornalismo é capaz de mostrar também as “coisas bonitas” da sociedade, que pode não fazer “primeiras páginas, mas coloca as pessoas no centro”. Obrigado porque, ao fazerem isto, acompanham o trabalho da Igreja. Continuem a fazer um jornalismo de pessoas e para as pessoas”, exortou o Papa.

Durante a audiência com estudantes de comunicação e professores, da Escola de Jornalismo da Igreja Católica na Alemanha, o santo padre saudou um tipo de informação que “denuncia as injustiças”, e se pauta pela “atitude positiva” e pelo cuidado com a “ética profissional”. Isto num tempo em que “é muito fácil as pessoas deixarem-se levar pela opinião pública”, muitas vezes marcada por um “derrotismo e pessimismo que paralisa e cega”. Papa Francisco exortou a ultrapassar “os muros da tristeza e da resignação e ajudemos as pessoas a abrirem os seus olhos e ouvidos, e acima de tudo os seus corações, para se assumirem como guardiões uns dos outros, filhos e filhas do mesmo Pai”.

A mensagem do papa retomou sua palavra de fomento ao esforço da imprensa, destacando não ser apenas um trabalho, mas “tarefa e compromisso”.