18 de Novembro de 2018 | 23:12:10

11/11/2018 | Especiais / Saúde e Bem Estar

Informação e auxílio médico são importantes na saúde do homem, diz especialista

Psiquiatra destaca campanha Novembro Azul para o público masculino buscar ajuda

Informação e auxílio médico são importantes na saúde do homem, diz especialista

SAÚDE: O dr. Robson Miranda Costa é psiquiatra e atua em Barretos
Tininho Junior

Ampliar foto

O psiquiatra Robson Miranda Costa (CRM-SP 161.745) lembrou que a campanha Novembro Azul é importante para destacar a saúde do homem como um todo. Segundo o médico, que também atua com psicoterapia e sexologia, o público masculino, em especial com 50 anos ou mais, sofre com uma série de problemas que poderiam ser evitados se um especialista fosse procurado com antecedência. “A falta de informação sobre aspectos relevantes da saúde masculina afeta a todos, homens e mulheres. Existe um pensamento corrente na sociedade que 'homem que é homem não chora, não demonstra sentimentos e nem sequer fica doente'. Além de equivocado, esse tipo de pensamento dificulta que homens procurem ajuda médica para tratar doenças já existentes, e em se tratando de prevenção esse cenário fica ainda mais preocupante”, explicou.

Um dos exemplos citados pelo dr. Robson é o caso do câncer de próstata. A prevenção ou descoberta precoce do problema, muitas vezes, não é feita pelo receio de procurar um urologista. “Muitos homens ainda se recusam a consultar com um urologista, com medo, receio de algo que lhes é desconhecido, pouco falado, que os amigos jamais comentam. Aqueles homens mais conscientes e informados já sabem que existem outros exames a serem feitos antes do temido toque retal, como a coleta de PSA (Antígeno Prostático Específico), ou seja, um simples exame de sangue. Embora ainda não haja um outro exame que seja tão eficaz na descoberta de alterações na próstata, como o toque retal”, disse o psiquiatra.

Outro aspecto citado pelo dr. Robson é a disfunção erétil como uma possível consequência do tratamento do câncer de próstata. O médico analisou que muitos homens esbarram no preconceito e na falta de informação para buscar o tratamento. “Entre os mais temidos desfechos de um tratamento para o câncer de próstata está a disfunção erétil (antigamente conhecida como impotência sexual), com seus impactos orgânicos, psicológicos e nas relações conjugais. O medo que ronda a maioria dos homens é que se ele não for capaz de ter e manter uma ereção de fazer inveja ao seu amigo de bar (outro aspecto que deve ser destacado é a constante comparação e competitividade entre os homens), não será portanto mais um homem completo. Ou ao menos um homem digno de admiração e respeito a si mesmo e pelos seu iguais”, disse. Segundo o médico, o psiquiatra pode ser importante no auxílio aos pacientes com câncer de próstata, assim como aos familiares.

O dr. Robson confirmou que existem bons tratamentos para depressão, ansiedade e o sexo. “A satisfação sexual não se resume ao sexo genital. Na verdade, o principal órgão sexual do corpo humano é o cérebro, e o maior é a pele, de maneira que resumir o ato sexual como apenas o coito genital é deixar de lado boa parte da diversão, não somente para o homem como para sua parceira – para quem de fato os estímulos sensoriais táteis são extremante importantes”, continuou o psiquiatra.

Para reforçar a importância de o homem buscar auxílio médico, o dr. Robson deixou um recado. “Ao contrário do que se pensa, procurar ajuda de um profissional de saúde não é sinal de fraqueza, como exige coragem para enfrentar todos os preconceitos oriundos do machismo. E não há bem mais valioso que ter e manter a saúde em dia, seja ela física ou psicológica. Procure um especialista, se dê essa chance e passe a ver a vida de uma outra maneira. Você tem o direito de ser feliz”, finalizou.