19 de Dezembro de 2018 | 07:52:16

19 de Dezembro de 2018 | 07:52:16

06/12/2018 | Política / Política

Bolsonaro quer votar reforma da Previdência no primeiro semestre

A prioridade é fixar idade mínima

Bolsonaro quer votar reforma da Previdência no primeiro semestre

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL)
Divulgação

Ampliar foto

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, disse que está confiante em que a reforma da Pre­vidência começará a ser votada no primeiro semestre de 2019. Se­gundo ele, há a possi­bilidade de aproveitar parte da proposta en­caminhada pelo presi­dente Michel Temer. A prioridade, de acordo com Bolsonaro, é fixar idade mínima.

“Não adianta apre­sentarmos uma boa proposta e ela acabar ficando [parada] na Câmara ou no Senado. Este seria o pior dos quadros possíveis. Nos­so grande problema, o que mais interessa no primeiro momento, é a idade mínima. Vamos começar com essa ideia e, depois, apresentar outras propostas”, disse Bolsonaro, indicando que pode se reunir com o relator da proposta, o deputado federal reelei­to Arthur Maia (DEM) a fim de convencê-lo de propor a votação da idade mínima.

O futuro presidente disse ainda que, se pu­desse, aprovaria novas regras para a Previ­dência já no dia 1º de fevereiro, quando começa a nova legis­latura. “Mas temos que respeitar o calendário de tramitação de pro­posições. Pretendemos, logicamente, aprovar a Reforma da Previ­dência porque, se não a fizermos, daqui a pouco estaremos na mesma situação que a Grécia esteve há pouco tempo.”

Bolsonaro também revelou que convidará os líderes partidários para discutir a propos­ta antes de enviá-la à Câmara. Ele reiterou que “não pretende fazer política da forma como era feito antes”. “Posso não saber a fórmula do sucesso, mas a do fra­casso é continuarmos fazendo a política de coalizão, de repartir o Poder Executivo com o Parlamento, ao qual respeitamos muito”, disse.

Bolsonaro já havia dito que pretende apre­sentar ao Congresso uma proposta fatiada e que a definição de uma idade mínima para apo­sentadoria será priori­dade. (AGÊNCIA BRA­SIL)