16 de Junho de 2019 | 18:44:53

16 de Junho de 2019 | 18:44:53

19/03/2019 | Especiais / Agronegócio

Levantamento aponta aumento de 76,1% na produção estadual de algodão

Área plantada passa de 8,8 mil hectares para 15,5 mil hectados em todo o Estado

Levantamento aponta aumento de 76,1% na produção estadual de algodão

RESULTADO: Cenário do mercado brasileiro aponta para um aumento de 43,6% na oferta de algodão
Divulgação

Ampliar foto

Dados do segundo levantamento de safra 2018/19 sobre o cultivo de algodão no Estado de São Paulo, confirmam o aumento de 76,1% na área plantada. O resul­tado passa de 8,8 mil hectares para 15,5 mil hectares. De acordo com o Instituto de Economia Agrícola (IEA), o au­mento da área plantada é resultado da conjuga­ção de fatores internos e externos. O câmbio e os preços estão entre as ra­zões que contribuíram para esse crescimento. A intenção de plantio, declarada no levanta­mento anterior, se efe­tivou, superando as ex­pectativas. No entanto, as condições climáticas, fundamentais para o de­senvolvimento da cultu­ra, determinarão, nos próximos meses, os re­sultados para o produto.

Em 2019, o suprimen­to mundial de algodão apresenta um decrésci­mo de 2,3% em relação ao ano precedente, com oferta estimada em 43,4 milhões de toneladas. A produção mundial de algodão deve atingir 25,8 milhões de tonela­das, volume 4% menor que o obtido em 2018. Esse quadro resulta de reduções das produções da Índia e dos Estados Unidos, enquanto os de­mais produtores: China, Brasil e Paquistão, man­tiveram ou aumentaram suas safras. No merca­do brasileiro, o cenário aponta para um aumen­to de 43,6% na oferta de algodão tendo em vista a oferta de 3,16 milhões de toneladas na safra 2018/19, resultante do crescimento na pro­dução e nos estoques de passagem da fibra, conforme informações da Conab.

O continen­te asiático tem sido o principal destino do al­godão brasileiro com as importações por parte da Indonésia, Tailândia e China. A comerciali­zação da safra 2018/19 deverá transcorrer com estoque da fibra no mercado brasileiro no patamar de 1 milhão de toneladas, o mais ele­vado dos últimos anos. Desse modo as exporta­ções para a Ásia deverão ser intensificadas si­multaneamente com as importações de manu­faturas o que configura o perfil do comércio ex­terior brasileiro da ca­deia de produção têxtil. (SÃO PAULO SP).