18 de Junho de 2019 | 14:09:33

18 de Junho de 2019 | 14:09:33

22/03/2019 | Política / Política

Ex-provedores da Santa Casa prestam esclarecimentos na Câmara

Ex-provedores da Santa Casa prestam esclarecimentos na Câmara

Os ex-provedores Décio Maruco Júnior e Luís Carlos Buch prestaram esclarecimentos na CPI da Santa Casa
Tininho Junior

Ampliar foto

Os ex-provedores Décio Maruco Júnior e Luís Carlos Buch prestaram esclarecimentos na CPI que apura possíveis irregularidades na Santa Casa.  Ambos foram questionados e responderam perguntas na qualidade de testemunhas. O vereador Aparecido Cipriano, relator da Comissão, questionou Décio Maruco a respeito do gasto com pessoal. Segundo ele, ao final de 2006 a despesa de R$ 8,7 milhões saltou para R$ 14,9 milhões ao final de 2010. O ex-provedor declarou que, quando assumiu a gestão, os médicos eram contratados pelo hospital. Também apontou acréscimo de enfermeiros de 11 para 34 e aumento de funcionários de 900 para 1.032.

“Quando assumi não tinha ala psiquiátrica, hemodinâmica e o Pronto-Socorro Infantil estava terceirizado, tudo isso com certeza elevou os gastos com pessoal”, disse.  O ex-provedor administrou a Santa Casa de 2007 a 2011 e confirmou dívida de R$ 46,3 milhões mais R$ 16,7 milhões referentes às demandas judiciais. Luís Carlos Buch administrou de 15 de março de 2011 a 31 de maio de 2012. Nessa época, o hospital vivia greve de médicos, cirurgias suspensas e metade do 13º  de funcionários em atraso.

Ele revelou que, após auditoria, a dívida da Santa Casa estava em R$ 67,6 milhões sendo desse total R$ 16,7 milhões em processos judiciais. “O restante era dívida com fornecedores, médicos, salários, encargos, empréstimos, água,  luz e telefone”, disse. De acordo com Buch, o resultado da auditoria foi apresentado para mesa e conselho  e protocolado no Ministério Público. “Em minha gestão pagamos em dia salários de médicos e funcionários, o 13º em atraso e renegociamos dívidas”, afirmou. Os ex-gestores foram ouvidos pelos vereadores Aparecido Cipriano, Carlão do Basquete e Almir Neves, que compõem a CPI da Santa Casa.