20 de Abril de 2019 | 16:01:34

20 de Abril de 2019 | 16:01:34

14/04/2019 | Especiais / Saúde e Bem Estar

Pneumologista destaca importância da vacina contra a gripe

Dr. José Luiz Iunes Filho explica sobre os principais problemas respiratórios típicos do outono

Pneumologista destaca importância da vacina contra a gripe

SAÚDE: O dr. José Luiz Iunes Filho é pneumologista em Barretos
Jânio Munhoz

Ampliar foto

O pneumologista José Luiz Iunes Filho (CRM 108978) destacou a importância da vacina contra a gripe e explicou como a imunização age no público-alvo. A campanha nacional de vacinação teve início em todo o país, inclusive em Barretos, na última quarta-feira e tem como objetivo imunizar 29 mil pessoas somente na cidade.

De acordo com o Ministério da Saúde, o público prioritário é composto por crianças de 6 meses a menores de 6 anos, indivíduos com 60 anos ou mais, gestantes, puérperas até 45 dias do parto, trabalhadores da saúde, professores, pessoas com doenças crônicas e outras condições clínicas especiais.
Segundo o médico barretense, diferentes tipos de problemas respiratórios são comuns na época do outono. O dr. Iunes filho orientou também sobre medidas preventivas. Confira mais na entrevista

O Diário: Qual a importância da vacina contra a gripe?
Dr. Iunes Filho: A vacina da gripe é uma das formas que a gente consegue evitar a doença. Ela tem o objetivo de trazer para a pessoa que recebe a aplicação, a imunidade contra a infecção. A vacina da gripe compõe por alguns dos principais vírus que acometem a gripe, que é uma infecção viral que tem vários subtipos. A vacina, no caso da rede pública, são três vírus. Um do Influenza tipo A e dois do Influenza tipo B. A pessoa acaba tendo uma proteção contra a ocorrência de gripe nesta época.

O Diário: Quais os problemas respiratórios mais comuns no outono?
Dr. Iunes Filho: Nesta época de outono e inverno, é muito comum a ocorrência de infecções respiratórias. A principal infecção respiratória desse período é a gripe, bastante comum, e que pode trazer complicações. Além da gripe, outras infecções virais como resfriado, muito comum nesta época, e doenças infecciosas bacterianas, como pneumonia, que ocorre com mais frequência nesta época. Em crianças menores, a gente vê muitas crises de bronquiolites virais e acabam ocorrendo também as descompensações das doenças respiratórias crônicas, principalmente a asma, o DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica) e doenças como a fibrose pulmonar.

O Diário: Quais medidas uma pessoa pode tomar com o objetivo de se prevenir?
Dr. Iunes Filho: A gente recomenda aos pacientes e a todos que acompanham a nossa entrevista a higienização das mãos. Lavar a mão com água, sabonete, que é uma prática muito importante, a gente vai diminuir a transmissão e ocorrência de doenças respiratórias. Além disso, a utilização de álcool em gel em mãos, um procedimento bastante útil e efetivo para diminuir a ocorrência de infecções. E o controle das doenças respiratórias crônicas. Por exemplo, se a pessoa tem uma doença como a asma, DPOC, fibrose pulmonar, ou outras patologias respiratórias, ela deve procurar o seu pneumologista para fazer um controle dessas doenças para que ele entre nesse período com a doença dentro da estabilidade, com o maior controle possível, para evitar crises nesse período. As pessoas que fumam têm que tomar um cuidado, porque o tabagista sempre tem mais chance de ter infecções respiratórias, principalmente nesta época. O ideal seria suspender o tabaco. Prática de exercício físico é muito importante, alimentação saudável e adequada também. Uma coisa que a gente tem ressaltado muito são as doenças relacionadas à privação ou distúrbios de sono. A falta de sono altera muito o sistema imunológico. Isso pode facilitar a ocorrência de infecções.

O Diário: Qual seu recado para o nosso público a respeito desse tema?
Dr. Iunes Filho: A mensagem que tenho a passar para vocês é ficar atento a sintomas respiratórios nesta época. É muito comum no nosso país a automedicação. As pessoas, às vezes, tem um quadro respiratório, uma tosse, um quadro gripal e muitas vezes, vai à farmácia, compra medicamento, pede orientação ao farmacêutico, e digo a vocês que é muito importante a consulta e o atendimento médico. O médico é o profissional preparado para orientar o paciente sobre qual medicamento tomar e qual orientação tem que ter. A gente vê muitos casos de gravidade e até fatalidade, principalmente, por início inadequado, fazendo automedicação.