23 de Maio de 2019 | 06:18:16

23 de Maio de 2019 | 06:18:16

13/05/2019 | Cidade / Cidade

Linha aérea depende de transferência para governo estadual, diz secretário

Município busca concluir convênio para a gestão do aeroporto pelo DAESP

Linha aérea depende de transferência para governo estadual, diz secretário

NECESSIDADE: Aeroporto deve ser reformado e ganhar novos equipamentos para receber voos regulares
Tininho Junior

Ampliar foto

A implantação de voo regular no aeroporto de Barretos depende da transferência definitiva para o DAESP (Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo). A informação é do secretário municipal de Ordem Pública, Claudio Muroni, citando que a prefeitura aguarda a finalização de convênio com governo paulista nos próximos dias. A tramitação inclui também aval do governo federal, através da ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil).

“O aeroporto sendo administrado pelo DAESP aí sim entra este projeto de expansão e de criação de novas linhas aéreas do governo João Doria”, afirmou Muroni. “São duas pontas, uma é a parte documental que está bem adiantada e a outra parte da implantação da linha aérea compete exclusivamente ao governo do Estado, junto com o DAESP e as empresas parceiras, que aqui está destinado para a GOL fazer a operação”, concluiu o secretário.

O anúncio do voo regular no aeroporto Chafei Amsei ocorreu no dia 28 de março, no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo, em evento com o governador João Doria, o prefeito Guilherme Ávila, secretários estaduais e diretores da GOL. Barretos foi incluído em pacote de novos destinos criados a partir da desoneração fiscal do combustível de aviação pelo governo paulista. Na época foi anunciado que o aeroporto passaria por adequações para operação de voos comerciais regulares, num prazo máximo estimado de 180 dias.