23 de Setembro de 2019 | 10:52:43

23 de Setembro de 2019 | 10:52:43

28/05/2019 | Cidade / Geral

Ação contra tabagismo visa conscientização e oferece exames

Ação contra tabagismo visa conscientização e oferece exames

SAÚDE: Cristina explicou sobre a campanha contra o tabagismo
Equipe O Diário

Ampliar foto

A secretaria munici­pal de Saúde promove nos dias 31 de maio e 1º de junho ação de com­bate ao tabagismo na área central. O objetivo é conscientizar sobre os malefícios causados e a oferta de exames gratui­tos. As pessoas que pa­raram de fumar há me­nos de 15 anos ou são fumantes e têm entre 55 e 75 anos, poderão fazer tomografia computado­rizada de baixa dose em unidade móvel do Hos­pital de Amor.

O exame válido para pessoas de Barretos, detecta tumo­res de pulmão em fases iniciais com altas chan­ces de cura. A coorde­nadora do grupo contra o tabaco, Cristina Mein­berg, confirmou ainda exames para avaliação de câncer de boca, fun­ção pulmonar e cadastro para quem deseja parti­cipar dos grupos contra o tabaco nas Unidades Básicas de Saúde. “Em caso de detectar alguma anormalidade, o resul­tado do exame será en­caminhado à UBS e ao Hospital de Amor”, disse.

A ação tem parceria da Fundação Pio XII, Facul­dade de Nutrição, Senac e profissionais da área de saúde. “As pessoas que não se imunizaram contra a gripe poderão tomar a vacina durante o evento”, disse. As ações serão desenvolvidas dia 31 da 8 às 17 horas e dia 1º de junho, das 8 às 13 horas, na praça Francis­co Barreto.

PROGRAMA

Desde janeiro, as Uni­dades Básicas de Saúde oferecem o programa contra o tabaco para quem não consegue pa­rar de fumar. A média é de 10 a 15 pacientes por grupo que mantém en­contros, a princípio, a cada semana. Segundo levantamento, nos últi­mos três anos, 211 pes­soas morreram vítimas de doenças pulmonares em Barretos. Dessas, 82 tiveram diagnóstico de câncer de pulmão com estimativa de 80% asso­ciados ao tabagismo.

ESCOLAS

A coordenadora con­firmou visita nas esco­las estaduais para cons­cientizar adolescentes. Segundo ela, é grande o número de jovens adep­tos ao narguilé. “Ele equi­vale a 100 cigarros, os adolescentes não acredi­tam nisso, mas temos que orientar”, explicou.