17 de Setembro de 2019 | 03:55:23

17 de Setembro de 2019 | 03:55:23

20/07/2019 | Opinião / Editorial

Multa acima de 40 km por hora

Os barretenses começaram a receber multas por ultrapassar o limite de 40 km por hora nas rodovias, nas praças de pedágio. A medida vale para quem tem o sistema "sem parar".

- O que já servia para faturar mais, sem necessidade de dar troco, moeda e taxa de manutenção, agora ajuda também a aumentar a receita das concessionárias.

A criatividade para "arrecadar" não tem limite. Nem de tempo, muito menos de velocidade. Tapar os buracos dos cofres, não das pistas. O problema não é só bater a carteira, tirando sem direção ou sentido o dinheiro do motorista. Acontece que se perde a carteira de habilitação também.

Por que o limite é 40? Não poderia ser 39 ou 51? Não é uma boa ideia? Depois que a gente passa dos 40 o tempo voa. Quando se fala de idade, naturalmente. Mas numa rodovia, transitar em baixa velocidade é um enorme perigo.  E se a porteira não abrir, o motorista parar e tiver um caminhão entrando a 40 km? Quem vai sofrer este impacto? Quem passa a 42 km por hora está correndo?

O alerta de 40 km no pedágio era recomendação de prudência. Agora ficou sendo fonte de receita virtuosa. Porque não se tem o critério de segurança, mas de balança. Um carro sem luz a 40 km por hora é muito mais perigoso para o trânsito que um zero quilômetro a 120 km por hora.

Agora, ficou assim: barretense que quer viajar com sem parar tem que entrar na fila das reclamações. Tudo isto só faz aumentar a saudade de Airton Senna. Tem 25 anos que o Brasil não conhece um campeão mundial de fórmula-1.