22 de Setembro de 2019 | 09:27:10

22 de Setembro de 2019 | 09:27:10

30/07/2019 | Opinião / Editorial

A missão como compromisso de vida

Padre Deusmar Jesus da Silva colocou a comunidade da Catedral em missão. Em grupos de dois - assim como fez Jesus na terra santa enviando agentes em dupla - os serviços de "pregar a boa nova do evangelho" estão se repetindo agora. Ivandro e Pedro fazem parte dos missionários, visitando famílias, casais, pequenos empregos e trabalhadores, dispostos a partilhar a palavra.

Assim com Zaqueu subiu na árvore para ver melhor - inclusive em função de sua pequenez interior e exterior na altura - os missionários leigos da Catedral convidam o barretense a sair do comodismo para acolher o Senhor em sua morada. Evidente no evangelho, que Jesus já tinha notado a presença do "pecador" na multidão. Mas foi a ousadia, coragem e empenho que permitiu a Zequeu ver o Senhor. A determinação foi para que descesse do alto para abrir as portas de sua casa. A mensagem clara: é preciso ter a humildade para ver, a firmeza para subir e a grandeza para descer. Foram as atitudes narradas no evangelho por Lucas. O rico e baixinho chefe dos publicanos conheceu a graça e despertou para a fé, para a partilha e a justiça, reconhecendo sua faltas e a misericórdia divina.

Os missionários da Catedral enfrentarão o mesmo murmúrio observado em Jericó naquele dia. Alguns não entenderão como a palavra é salvadora e como "ser hóspede de um homem pecador". Entretanto, é preciso ter sempre em mente a expressão de João: "Deus é amor".  Afinal, "se vivemos pelo Espírito, procedamos também de acordo com o Espírito", ensinou Paulo aos Gálatas de ontem e aos barretenses de hoje e sempre.

Ao motivar os missionários da Catedral, o pároco reascende na própria comunidade o belo, forte  e doce serviço de igreja em saída, proposta sensível do papa Francisco.