22 de Setembro de 2019 | 09:26:19

22 de Setembro de 2019 | 09:26:19

31/07/2019 | Opinião / Editorial

A primeira neta do Neto

O nascimento de Maria Antônia renova a alegria da vida. A filha primogênita de João e Eduarda veio fazer a Terra ser mais bonita,  mais feliz e mais humana.

Maria Antônia veio como herdeira da sensibilidade da Luiza, da percepção da Eloisa e da alegria da Duda. A vocação será aprender com o bisavó João Filho a arte da perseverança, com o avó João Neto, a ciência do entendimento,e com o pai João, a coragem de ousar.

A menina nasceu de parto normal em São Paulo, dia 29 de julho, pesando 3,440 kg, às 14h45, com a alma barretense e a beleza de Santa Catarina. A garota veio como brisa, delicadeza no ar, chegou como música, melodia no lar, sonora como anjo a cantar.

O mundo de hoje, tão tenso e com pressa, precisava da Maria Antônia. Uma necessidade de espelhar o sinal do amor, gesto de espera e partilha de gratidão. O trabalho de parto foi longo, talvez por ser preciso mesmo que se orasse um pouco mais para que a proteção materna de Maria nunca seja esquecida. Os tempos atuais pedem ação e contemplação e por isso se mira tanto seu rosto sereno para acolher a criação divina. Com a doce donzela se reforçam os pedidos de paz e preces, carinho e delicadeza, paciência e consolação.

Maria Antônia capta a candura das flores, a ternura das cores, a doçura dos sabores. Cercada de bênçãos, aguardada com entusiasmo, festejada na esperança, chegou antes de agosto para ser a festa da família.

Não espere que seja fácil, mas faça com sentido e sentimento.Não seja boba, mas sempre boa, gentil, atenta e atenciosa. Não seja dura, mas amável, firme, ciente e consciente. Não se iluda, porque somos mais o que recebemos do que donos do que temos. Não se esqueça que o amor é o maior legado para uma vida plena. Aproveite todos seus dons e virtudes para semear a fé e testemunhar a graça.

Maria Antônia, a primeira filha do João é a primeira neta do Neto.