23 de Setembro de 2019 | 11:18:16

23 de Setembro de 2019 | 11:18:16

01/08/2019 | Opinião / Editorial

Balanço geral do 1º semestre

Foram 33 ocorrências de porte de entorpecentes, 216 de tráfico e 18 apreensões de drogas no período de janeiro a junho de 2019.  O balanço da segurança pública apontou 29 armas de fogo apreendidas, 278 flagrantes lavrados em seis meses.
Os números para Barretos apontam a instauração de 607 inquéritos policiais em 2019. Foram presas 438  pessoas de janeiro a junho, sendo 320 em flagrante. Um total de 80 veículos recuperados.

O balanço do semestre trouxe 5 homicídios culposos por acidente de trânsito, 219 casos de lesão no trânsito, 5 tentativas de homicídio, 247 casos de lesão corporal dolosa, 1 latrocínio.
Barretos registrou 70 roubos, 19 estupro, 761 furtos gerais e 111 de veículos.
O cenário assusta porque ultrapassa os valores matemáticos, numéricos, estatísticos. A tensão é gerada pelo medo, pela incerteza e desconfianças. O sentimento de partilha social, de tolerância fraterna e de respeito a vida passam a ser ignorados, limitados e ignorados. Todos são suspeitos e a sombra amedronta, assusta e pune.

A mística do medo cresce porque há disseminação nas redes sociais e valorização da má notícia nas mídias. Muitas vexes com impactos relevantes, como no caso do extermínio no presídio de Altamira no Pará.

Há uma recomendação para a prática social, entendendo que "quem precisa de ajuda também ajuda". Do mesmo modo, quem quer paz gera segurança e pacificação nos atos, atitudes e posturas.