22 de Setembro de 2019 | 09:25:08

22 de Setembro de 2019 | 09:25:08

07/08/2019 | Opinião / Editorial

Turismo na era tudo a jato

Qual a estratégia planejada para o setor?

O secretário estadual de Turismo, Vinícius Lummertz, abordou a importância do reposicionamento de São Paulo na rota turística. Ao visitar a região na comitiva de Rodrigo Garcia - governador em exercício com a viagem de João Doria a China - o secretário exaltou as novas rotas aéreas.

- Os novos voos para municípios como Barretos fazem justiça à importância no contexto econômico e social para o Estado e o Brasil - chegou a comentar com a imprensa.
A febre de "municípios de interesse turístico" tem caráter epidêmico. Em 2017 e 2018, o Estado classificou 97 cidades no pacote do MIT, incluindo Barretos, Araraquara e Votuporanga. Em 2019, mais 43 cidades ganharam o título, incluindo Bebedouro, Guaíra e Icém.

O encontro realizado pela Associação dos Municípios de Interesse Turístico do Estado de São Paulo em Barretos foi valorizado pela caravana de lideranças.  Rodrigo Garcia enfatizou ser fundamental criar estratégias para que as cidades se apropriem da riqueza gerada pelo setor. “Turismo é emprego na veia e, nesse momento de retomada da economia, não podemos perder tempo”, ponderou.

Eis então uma questão que se impõe, porque não tem data e prazo, valor e preço, como vai operar a linha para Barretos. Qual a estratégia planejada para o setor? Como vai funcionar a linha e o atendimento para o turismo e passageiros comerciais?  Em tempos de lava-jato e vaza-jato, bom pensar como usar "o jato" para decolar o desenvolvimento regional e barretense.