23 de Agosto de 2019 | 15:03:32

23 de Agosto de 2019 | 15:03:32

11/08/2019 | Cidade / Cidade

DAESP inclui aeroporto de Barretos em programa de desestatização

Órgão estadual deve assumir gestão do aeroporto no final de setembro

DAESP inclui aeroporto de Barretos em programa de desestatização

AEROPORTO CHAFEI AMSEI: Transferência do município para o DAESP deve ser concluída até setembro
Tininho Junior

Ampliar foto

O Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (DAESP) incluiu o aeroporto “Chafei Amsei” nos estudos para a desestatização. A consultoria internacional da IOS Partner foi contratada para definir a modelagem - abertura de capital, concessão ou PPP. A meta é concluir todo no processo de desestatização no primeiro trimestre de 2020, junto com outros aeroportos paulistas.
O convênio de delegação do aeroporto de Barretos para o governo estadual foi publicado no Diário Oficial no dia 27 de junho. Atualmente, acontece o processo de transição entre a prefeitura e o Estado até que o DAESP assuma o aeroporto em definitivo no final do mês de setembro. 

“Esse período de transição é crucial para que o Departamento possa levantar todas as adequações necessárias a fim de que o aeroporto atenda os requisitos da regulamentação vigente para o setor, e assim, disponibilizar novos voos, ampliar a malha aérea e conectar os municípios do interior paulista”, informou o órgão em nota à imprensa.

O DAESP confirmou também que pretende colocar em prática o uso de pequenas aeronaves nos aeroportos do interior, inclusive no de Barretos.  O plano é uma alternatival para acelerar a disponibilidade de voos para a população até que todos os aeroportos estejam prontos, com as adequações necessárias, para receber também as aeronaves maiores.  A secretaria de Logística e Transportes, por meio do DAESP, publicou um chamamento de empresas do setor na sexta-feira (9).

LINHA AÉREA
No final de março, o governo paulista anunciou acordo com a empresa GOL para operar a linha Barretos-São Paulo em voos regulares, a partir da desoneração fiscal do combustível de aviação. Na época, o Estado informou que o aeroporto de Barretos passaria por adequações para operação de voo comercial regular, com prazo máximo estimado de 180 dias. A expectativa é que a cidade conte com voo de ida e volta a São Paulo de três a cinco vezes por semana, em aeronave com capacidade para 138 passageiros.