23 de Setembro de 2019 | 10:54:19

23 de Setembro de 2019 | 10:54:19

17/08/2019 | Opinião / Editorial

Olhar de esperança para a cidade

Um centro avançado de pesquisas e tratamento oncológico. Um enorme potencial turístico, com atrações fol­clóricas e competições rurais. Uma cidade que espera com paciência a implantação do projeto de transpor­te aéreo e pensa em viabilizar a mo­vimentação de terminal de carga. A aprovação do loteamento Vida Nova Barretos III - com 561 lotes e área total de 277.343,09 metros quadra­dos indicando opções habitacionais.

- Há dificuldades nas áreas de tratamento sanitário e abasteci­mento hídrico. Há problemas no setor hospitalar e geração de em­pregos formais.

O roteiro para celebração dos 165 anos de Barretos tende a mostrar enorme potencial humano, cultural e histórico por um lado. As grandes fragilidades econômicas, sociais e políticas de outro lado da balança. Mesmo antes de atingir uma popu­lação de 120 mil habitantes, a co­munidade sente os impactos das ne­cessidades de aumento da renda per capita, um aumento da segurança e de fomento de esporte, educação e lazer.

As contradições na terra de Chi­co Barreto apontam para o despertar das novas tecnologias, um revigora­mento do comércio e novo patamar produtivo industrial. O agronegó­cio tem ficado dependente da cana e precisa retomar certa diversidade criativa e rentável, por mais difícil que seja a jornada.

Barretos de hoje pede renovação de lideranças políticas, projeção do empreendedorismo e cuidados com a 3ª idade, em tempos que cresce a expectativa de vida. O planejamen­to para retomar opções de produção para o mercado exportador pode ser incentivado. O apoio aos programas de formação do Centro Universitário em geral e ao curso de medicina em especial pesa no ritmo do desenvol­vimento municipal.

Temperança, caridade e diligên­cia são as virtudes que o barretense cultiva em seu interior e determinam seu momento presente e aliança para o futuro.