23 de Setembro de 2019 | 15:01:16

23 de Setembro de 2019 | 15:01:16

08/09/2019 | Cidade / Cidade

Promotor explica sobre decisão que garante liberdade a réus no “caso Chileno”

Integrantes da família Soares de Oliveira devem recorrer contra condenação pelo júri

Promotor explica sobre decisão que garante liberdade a réus no “caso Chileno”

Promotor de justiça Bruno Caldas
Tininho Junior

Ampliar foto

O promotor de justiça Bruno Caldas explicou sobre o fato dos réus Milton, Lucas e Rafael Soares de Oliveira po­derem apelar da decisão do tribunal do júri em liberdade. “Os membros da família Soares de Oli­veira irão recorrer em liberdade como uma de­corrência de um recurso, na verdade uma ação de Habeas Corpus, em que foi concedida liminar anteriormente e que foi mantida pela juíza sen­tenciante”, afirmou.

Os advogados de Milton, Lu­cas e Rafael, condenados por homicídio no “caso Chileno” na noite de sexta-feira (6), já anun­ciaram que irão recorrer contra a decisão do tri­bunal do júri de Barretos, que foi presidido pela ju­íza Fernanda Martins de Lima Vazquez. Milton foi condenado a 24 anos de reclusão, Rafael a 18 anos e 8 meses e Lucas a 27 anos. O quarto réu condenado pelo assassi­nato de Marco Antonio Moreira Lagos, o Chile­no, foi Adriano Dias de Souza, acusado de ser o autor dos disparos, con­tra a vítima no dia 27 de junho de 2011. Ele deverá permanecer preso e sua condenação foi fixada em 21 anos de reclusão.