Esqueci minha senha
A importância dos cuidados paliativos nas doenças crônicas

O Diário - 9 de julho de 2024

A importância dos cuidados paliativos nas doenças crônicas

Mayara Porpino França, estudante do 7º período do curso de medicina da FACISB, orientada pelo prof. Eduardo Marcelo Cândido

Compartilhar


Os cuidados paliativos são uma abordagem de tratamento voltada para a melhoria da qualidade de vida de pacientes com doenças graves, crônicas ou terminais, tendo como objetivo central aliviar o sofrimento físico, mental e espiritual do paciente. Dessa forma, envolve uma abordagem holística, que considera não apenas os aspectos físicos da doença, mas também os aspectos emocionais, psicológicos, sociais e espirituais do paciente e de sua família. Para isso, a equipe multidisciplinar é composta por médicos, enfermeiros, psicólogos, assistentes sociais, nutricionistas, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais entre outros. Os cuidados paliativos têm entre seus principais pilares: o alivio da dor e sintomas, o apoio psicológico, a melhoria da qualidade de vida e o apoio para a família.

Não é incomum os indivíduos relacionarem cuidados paliativos apenas com o câncer, porém, eles podem serem aplicados a qualquer doença que ameace a vida, como por exemplo, insuficiência cardíaca, doença pulmonar obstrutiva crônica, doença de Alzheimer, insuficiência renal crônica, artrite reumatoide e diversas outras. Em todas essas doenças os pacientes podem se beneficiar dos cuidados paliativos, uma vez que ele pode manejar e controlar os sinais e sintomas de forma mais ampla e integral, garantindo aos pacientes viverem mais confortavelmente independentemente do estágio da doença.

Apesar de abranger inúmeras doenças ameaçadoras da vida, os cuidados paliativos, no Brasil, restringem-se na maioria das vezes ao tratamento de fim de vida principalmente dos canceres. Dessa forma, é comum que se encontre uma equipe multidisciplinar de cuidados paliativos em hospitais oncológicos e não em hospitais gerais. Essa problemática pode ser explicada pela falta de recursos financeiros na saúde, já que o custo de se manter uma equipe multidisciplinar para todas as doenças que ameaçam a vida é muito elevado. Vale salientar a importância dos cuidados paliativos na saúde pública brasileira, sendo de extrema importância a expansão para regiões mais afastadas e precárias.

Mayara Porpino França, estudante do 7º período do curso de medicina da FACISB, orientada pelo prof. Eduardo Marcelo Cândido